Budistas dizem que monge mumificado não está morto

Por | 7 de fevereiro de 2015 às 14:54

Foto: Reprodução/Daily Mail
Foto: Reprodução/Daily Mail

Um monge que foi achado mumificado na posição de lótus na Mongólia está em “profundo estado meditativo” e não morto, segundo especialistas budistas afirmaram ao “The Siberian Times”. Os peritos avaliam que o corpo tenha cerca de 200 anos e que foi mantido preservado em peles de animais.

 

O monge Barry Kerzin disse que o monge está em estado espiritual conhecido como “tukdam”, que é muito especial. “Tive o privilégio de cuidar de alguns meditadores que estavam no estado de tukdam”, disse. “Se a pessoa consegue ficar nesse estado por mais de três semanas – o que raramente acontece – seu corpo começa a a encolher e no final o que sobra são os cabelos, as unhas e as roupas.” Ele ainda completa: “Nesse caso, um arco-íris aparece no céu por vários dias. Isso significa que alguém encontrou um ‘corpo do arco-íris’. É o estágio mais alto antes do Buda”.

 

Já Ganhugiyn Purevbata, fundador do Instituto Mongol de Arte Budista da Universidade Budista de Ulan Bator, diz que “o lama está sentado na posição de lótus vajra, com a mão esquerda aberta e a mão direita simbolizando o ensinamento do sutra”. Este é um sinal de que o lama não estaria morto, e sim em “estado meditativo muito profundo”.

 

Há especulações de que a múmia seja um professor do lama, Dashi-Dorzho Itigilov, nascido em 1852.

 

O corpo mumificado do monge foi roubado de uma caverna na região de Kobdsk por um homem que queria vendê-lo no mercado negro, mas acabou sendo recuperado e está com o Centro Nacional de Pesquisa Forense.

Deixe aqui seu Comentário

Radar notícias © 2014 - 2024 Todos os direitos reservados.