Alexandre Ayres destaca criação da Central de Leitos como legado do enfrentamento à Covid-19

Por | 20 de outubro de 2020 às 1:00

Foto: Carla Cleto

Além de a criação de mais de 1.300 leitos exclusivos para atendimento a pacientes com suspeita e que testaram positivo para o novo coronavírus, a implantação da Central Estadual de Regulação de Leitos é o grande legado deixado pelo enfrentamento da pandemia da Covid-19 em Alagoas. A análise foi realizada pelo secretário de Estado da Saúde, Alexandre Ayres, durante Reunião Ordinária da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), que reuniu técnicos e gestores do Sistema Único de Saúde (SUS) e ocorreu nesta segunda-feira (19), no auditório do Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, no bairro Jaraguá, em Maceió.

Na concepção do gestor da saúde estadual, que também é membro titular da CIB, o êxito do enfrentamento da pandemia da Covid-19 em Alagoas é resultado de dois fatores primordiais. Para Alexandre Ayres, além da determinação do Governo do Estado de agir com transparência e trabalhar para abrir e habilitar novos leitos, também foi implantado um sistema de regulação eficiente, que otimizou as internações e evitou que os pacientes esperassem por atendimento e tivessem seus quadros clínicos descompensados e agravados.

A comprovação de que os dois fatores citados pelo secretário Ayres surtiram efeito positivo, no tocante à qualificação da assistência aos pacientes da Covid-19, pode ser verificada nos dados apresentados, durante a Reunião Ordinária da CIB, pelo superintendente de Vigilância em Saúde da Sesau, Hebert Charles Barros. Enquanto Alagoas alcançou o patamar de criar, diariamente, 3.3 leitos SUS exclusivos para Covid-19, paralelamente a Central de Regulação atuava para ocupá-los de forma organizada, realizando transferências de pacientes com eficiência e evitando o colapso da Rede de Leitos SUS de Alagoas.

Apenas como exemplo, além de mudar o perfil assistencial do Hospital da Mulher (HM), em Maceió, que passou a atender, exclusivamente, pacientes com suspeita ou que testaram positivo para a Covid-19, foram inaugurados dois Hospitais de Campanha, sendo um em Maceió e outro em Arapiraca, bem como, o Hospital Metropolitano de Alagoas (HMA). Essas unidades e as demais que compõem a Rede de Leitos SUS de Alagoas, passaram a realizar até 700 hospitalizações por dia, com todos os pacientes exclusivamente regulados, agilizando e qualificando a assistência, além de evitar mais óbitos do que quase 2.200 já computados até esta segunda-feira (19).

“Graças à demonstração de unidade e interlocução entre a Sesau e as Secretarias Municipais de Saúde, com o apoio do Cosems/AL [Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Alagoas], temos a exata noção de que, se trabalharmos de maneira conjunta e organizada, podemos fazer uma revolução na saúde pública. A resposta dada por Alagoas, durante a pandemia, demonstrou e nos deu a plena convicção que é fundamental ampliar essa interlocução e discussão, com o propósito de assegurarmos que as políticas públicas cheguem a quem realmente precisa. A Central Estadual de Regulação de Leitos é uma prova que o SUS dá certo e representa um projeto que veio para ficar e otimizar a ocupação de leitos da nossa rede, seja das unidades que já existiam, dos novos hospitais que entregamos e dos que ainda iremos inaugurar nos próximos meses” salientou Alexandre Ayres.

Declínio da Curva de Contágio – Ainda durante a Reunião Ordinária da CIB desta segunda-feira (19), foram apresentados os dados epidemiológicos do novo coronavírus em Alagoas, que apontam um declínio da curva de contágio. Conforme números divulgados pela Superintendência de Vigilância em Saúde (Suvisa), computados por meio do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs), no início da pandemia da Covid-19, o Estado chegou a registrar mil casos por dia, mas, atualmente, após as medidas de isolamento e distanciamento social, além das orientações para higienizar a mãos e utilizar máscara, são registrados menos de mil casos por semana.

Para se ter ideia da redução, na última semana epidemiológica, Alagoas registrou uma média de 78 novos casos por dia, sendo 14 da capital e os demais do interior do Estado. Os números mostram que Alagoas está há sete semanas em estabilidade, com o registro de cinco óbitos por dia, em média, conforme o Boletim Epidemiológico, que no início da pandemia chegou a computar um média de 34 mortes diárias. Já com relação a Taxa da Ocupação de Leitos, que já chegou ao patamar de até 80%, o número hoje é de 23%, com apenas 177 leitos ocupados, dos 774 em funcionamento, segundo aponta o Boletim da Central Estadual de Regulação de Leitos, atualizado às 17h do domingo (18).

“Os números mostram que nossas medidas de enfrentamento da Covid-19 surtiram efeito positivo, mas, não podemos baixar a guarda e deixamos de cumprir as medidas de distanciamento social, bem como, negligenciarmos o uso permanente da máscara nos locais públicos e de seguirmos higienizando as mãos com água e sabão e álcool em gel a 70%. O novo coronavírus ainda está presente em nosso meio e temos que continuarmos nos prevenindo até o surgimento de uma vacina comprovadamente eficaz”, salientou Alexandre Ayres, diante do presidente do Cosems/AL, Rodrigo Buarque.

O gestor da saúde estadual ressaltou, ainda, que os técnicos da Sesau estão disponíveis para auxiliar os secretários municipais de saúde no tocante à prestação de contas neste período de encerramento das gestões municipais e, sobretudo, com relação aos recursos da Covid-19. Ainda durante a Reunião Ordinária da CIB, foi discutido o remanejamento de recursos da Estratégia de Procedimentos Cirúrgicos Eletivos para o ano de 2020, que tem como objetivo reduzir as filas de espera de pacientes que necessitam de cirurgias e apresentado o projeto piloto Conecte SUS, bem como, repassadas informações sobre o Programa Mais Saúde Especialidades.

Agência Alagoas 

Deixe aqui seu Comentário

ENQUETE
  • Você está tomando os cuidados necessários para o coronavírus?

    Carregando ... Carregando ...
  • INSTAGRAM
    Radar notícias © 2014 - 2020 Todos os direitos reservados.