Antonio Albuquerque repercute entrevista do procurador Eduardo Tavares e cobra esclarecimentos

Por Assessoria (Ale) | 23 de abril de 2020 às 10:00

Crédito: Ascom

Em pronunciamento durante a sessão plenária desta quarta-feira, 22, o deputado Antonio Albuquerque (PTB) requereu à Mesa Diretora da Casa que o ex-procurador-geral de Justiça, Eduardo Tavares, seja convidado a comparecer ao Parlamento para prestar esclarecimentos sobre a denúncia feita na imprensa local, onde disse que fará “revelações bombásticas, que mudarão o rumo das próximas eleições municipais e da política”. Albuquerque falou que o teor da matéria jornalística lhe chamou a atenção e que não pode passar despercebida “aos olhares” das autoridades de Alagoas.

“A matéria traz como título: Bomba no MP – Eduardo Tavares promete revelar lobos, psicopatas e chorões após escolha de Renan Filho. Essa afirmação vinda de um ex-procurador-geral de Justiça, sendo da lavra do Ministério Público alagoano, não pode, sob nenhum aspecto, passar despercebida aos olhos vigilantes da sociedade e de seus mais legítimos representantes”, declarou Antonio Albuquerque, acrescentando que não poderia entender o fato como um acontecimento qualquer.

“Trata-se de uma colocação, de uma afirmativa que dela decorrem inúmeras interpretações e, ali inclusas, já estão uma série de, no mínimo, prevaricações”, avalia o parlamentar, observando que Eduardo Tavares, em diversas oportunidades, teria se utilizado das prerrogativas do MP para os seus intentos e interesses políticos, citando como exemplo o fato de o mesmo ter exercido o cargo de prefeito de Traipu. “Vejo-me na obrigação de trazer não apenas essa denúncia, mas de solicitar, através de requerimento verbal, que esta Casa convide o procurador para que traga riquezas de detalhes da denúncia que fez ao site de notícias”.

Deixe aqui seu Comentário

ENQUETE
  • Você está tomando os cuidados necessários para o coronavírus?

    Carregando ... Carregando ...
  • INSTAGRAM
    Radar notícias © 2014 - 2021 Todos os direitos reservados.