Canindé: Assessor diz que cachê de cantora custou 25 mil, e prefeitura afirma que custou 7 mil

Afirmações dada pelo assessor fui utilizada em forma de comentário, prefeitura publicou nota na página oficial.

Por Ítallo Timóteo | 9 de novembro de 2015 às 14:49

Alice Maciel seria a atração principal da inauguração, mas show foi cancelado, após decisão da justiça.
Alice Maciel seria a atração principal da inauguração, mas show foi cancelado, após decisão da justiça.

No último sábado (7), a justiça sergipana decretou o cancelamento do show da cantora gospel Alice Maciel que aconteceria em Canindé, as 19h, na inauguração da “Praça da Bíblia”, a ação se deu por meio de uma determinação liminar proposta pelo Ministério Público Estadual, ajuizada pelo promotor Dr. Emerson Oliveira Andrade, tendo como base o alto custo do evento, que seria, segundo a justiça, R$ 300 mil reais, haja visto que o município passa por diversos problemas financeiros como relata constantemente o atual gestor. Leia Mais…

 

Após a decisão dada pela justiça, o show foi cancelado, porém a inauguração foi realizada, sem o show da cantora renomada no meio gospel.

 

Município de Canindé é investigado por fraude milionária em contratos. Leia Mais…

 

A ação da justiça repercutiu na cidade e na manhã desta segunda-feira (9), a Prefeitura do município, utilizando o perfil no Facebook (oficial) uma nota de esclarecimento falando sobre o caso. Veja abaixo:

 

“A Prefeitura de Canindé de São Francisco esclarece que, em nenhum momento, orçou ou fez qualquer processo estimado em R$ 300 mil para a realização do show da cantora gospel Alice Maciel, durante a inauguração da Praça da Bíblia. Tal valor foi divulgado na imprensa e redes sociais e chega a ser irreal por se tratar de uma quantia altíssima e fora da realidade de qualquer atração gospel nacional.

 

O cachê da cantora é de R$ 7 mil, sendo que o Ministério Público Estadual resolveu ingressar na Justiça para cancelamento da atração, alegando que o município se encontra em situação de emergência. Agindo com cautela, a administração municipal decidiu não recorrer da decisão, que foi em caráter liminar, e suspender a realização do show.

 

Portanto, nunca houve nenhuma intenção ou processo para se gastar R$ 300 mil em uma simples apresentação gospel. Desconhecendo a natureza dessa informação.”

 

Mas, o que mais chamou a atenção, foi alguns comentários postados por leitores, dentre eles está o da Val Menezes, que diz: O interessante e que o próprio sec. de comunicaçao falou que seria 25,000 mil o show, e que outra informação não procede. Diz a mulher, publicando uma reprodução do comentário.

 

Reprodução: Facebook
Reprodução: Facebook

 

O perfil oficial da prefeitura, a responde e diz: Olá Val Menezes! Não houve nenhuma informação incoerente por parte do Secretário. Este valor de 25.000,00, abrange como um todo; som, palco, iluminação e Hotel.

 

O secretário, Dimas Roque Val, responde a leitora afirmando: Não há nada errado na informação que dei. Dentro da festa estaria, palco, sim, iluminação e hospedagem. Mesmo assim, está muito abaixo de desinformação dada pelo Blog. Você não sabia, e não tem a obrigação de saber, mas seria o cachê colocado, onde as despesas ficam todas para o artista.

 

Deixe aqui seu Comentário

ENQUETE
  • Você está tomando os cuidados necessários para o coronavírus?

    Carregando ... Carregando ...
  • INSTAGRAM
    Radar notícias © 2014 - 2020 Todos os direitos reservados.