Delmiro Augusto da Cruz Gouveia completaria hoje 155 anos de idade

Delmiro Gouveia construiu a primeira hidrelétrica do Brasil, uma usina com potência de 1.500 HP, na queda de Angiquinho.

Por Anderson Cleyverson | 5 de junho de 2018 às 17:34

Dia 5 de junho é a data de aniversário de Delmiro Augusto da Cruz Gouveia que se estivesse vivo completaria 155 anos de idade.

 

Além do seu aniversário do Pioneiro, nesta terça-feira (5) é comemorado os 104 anos de existência da Fábrica da Pedra, construída por Delmiro Gouveia que foi inaugurada em 1914.

 

Delmiro Augusto da Cruz Gouveia nasceu na Fazenda Boa Vista, em Ipu no dia 05 de junho de 1863, em 1868 transferiu-se para o estado de Pernambuco na cidade de Goiana, mudando-se para o Recife em 1872.

 

No dia 5 de junho, a Fábrica iniciou-se a produção de fios e linhas Estrela e com pouco tempo começou a exportar produtos para o Peru e Chile. A indústria era um modelo para a época.

 

Planejando construir ali uma fábrica de linhas de costura que até então eram importadas da Inglaterra, as conhecidas Linhas Corrente, que monopolizavam o mercado brasileiro e apelando para ideais nacionalistas, nativistas e cívicos então em voga, conseguiu do governo de Alagoas concessões que incluíam o direito à posse de terras devolutas, isenção de impostos para a futura fábrica, e permissão para captar energia da cachoeira de Paulo Afonso, além de recursos governamentais para ajudar na construção de 520 quilômetros de estradas ligando Pedra a outras localidades. A partir de 1912 iniciou a construção da fábrica de linhas e da Vila Operária da Pedra, com mais de 200 casas de alvenaria.

 

Em 26 de janeiro de 1913 inaugurou a primeira hidroelétrica do Brasil com potência de 1.500 HP na queda de Angiquinho. Em 1914 iniciou as atividades da nova fábrica sob a razão social Companhia Agro Fabril Mercantil, produzindo as linhas com nome comercial “Estrela” para o Brasil, e “Barrilejo” para o resto da América Latina. Com preços muito abaixo das “Linhas Corrente”, produzidas na Inglaterra pela Machine Cotton, que até então monopolizava o mercado de linhas de costura em toda a América Latina, logo dominou o mercado brasileiro, e amplas fatias dos mercados latino-americanos.

 

O industrial estava ameaçado por várias pessoas, como também pelos coronéis que exploravam as terras sem benefícios para a coletividade. No dia 10 de outubro de 1917, Delmiro Gouveia foi assassinado com três tiros em frente ao seu chalé, próximo a Fábrica da Pedra. A antiga Vila da Pedra, hoje é uma cidade que leva o nome do seu filho ilustre. Viva Delmiro Gouveia!

Deixe aqui seu Comentário

ENQUETE
  • Você está tomando os cuidados necessários para o coronavírus?

    Carregando ... Carregando ...
  • INSTAGRAM
    Radar notícias © 2014 - 2020 Todos os direitos reservados.