Coluna do Magno Francisco: E agora, José?

Mais um artigo produzido pelo filósofo e professor da Universidade Federal de Alagoas, Magno Francisco

Por Magno Francisco | 30 de outubro de 2014 às 17:51

DSC_4492A  vitória da presidente Dilma Roussef (PT) contra o candidato Aécio Neves (PSDB) representou uma derrota para os planos do imperialismo estadunidense na América Latina e para as elites reacionárias do país.

 

Com o cenário de crise econômica do capitalismo e a disputa interimperialista por novos mercados, a vitória de Aécio significaria para o presidente estadunidense Barack Obama ter um aliado fiel para ampliar suas área de influência na América Latina e desestabilizar governos democratimente eleitos.

 

A candidatura do PSDB uniu os setores reacionários do Brasil, que desenvolveram uma campanha de caráter fascista, expressando o seu ódio contra os pobres, negros, gays e nordestinos.

 

Na verdade, esta proposta de separar o Brasil entre Sul/Sudete e Norte/Nordeste, tem a clara intenção de escamotear os interesses de classe das elites conservadoras do Brasil, escolhendo alvos para destilar seu veneno na tentativa de desqualificar a vitória do governo.

 

É necessário registrar que a vitória de Dilma Roussef não seria possível sem o papel destacado da militância que foi as ruas dialogar com a população e desenvolver a campanha. A vitória de Dilma no segundo turno se deve também em grande medida ao engajamento da esquerda revolucionária, como o PCR, Unidade Popular, Polo Prestista e setores do PSOL. Juntos deram uma qualidade a candidatura de Dilma que não existia no primeiro turno.

 

Apesar desta importante vitória contra a extrema direita, os próximos dias serão difíceis para os trabalhadores. A economia vive um momento de estagnação e a burguesia fará ainda mais pressão sobre o governo para aumentar seus lucros e explorar mais ainda os trabalhadores.

 

Desta maneira, os movimentos sociais, os sindicatos, as centrais sindicais, devem desenvolver uma grande pressão popular para que as pautas dos trabalhadores sejam atendidas e conquistas sejam obtidas.

 

É importante lembrar que, apesar da vitória de Dilma, o PT saiu desta eleição menor do que entrou, com menos parlamentares eleitos e também com uma diminuição da sua base aliada. Assim, a oposição de direita cresceu, inclusive ampliando as bancadas mais conservadoras, como a bancada policial e ruralista.

 

Além disto, o PMDB, principal partido da base aliada do governo, que tem o vice-presidente do país, Michel Temer, tudo fará para impedir mais avanços, como deixou claro ao liderar na câmara dos deputos o veto ao decreto da presidente Dilma que regulamentava o funcionamento dos conselhos populares.

 

Derrotar o PSDB nesta eleição foi uma importante vitória para os trabalhadores, porém ainda não foi a derrota definitiva da extrema-direita. A principal tarefa política do proletariado é fortalecer o campo antifascista e trabalhar para impedir o avanço das forças reacionárias no Brasil. Esta é uma batalha que será decidida nas ruas e eu aposto na vitória das forças populares.

Deixe aqui seu Comentário

ENQUETE
  • Como você avalia a gestão de Maristela Sena em Piranhas?

    Resultado da Enquete

    Carregando ... Carregando ...
  • INSTAGRAM
    Radar89 © 2014 - 2017 Todos os direitos reservados.