‘Eu agarrei a minha filha e esperei o ônibus cair’, relata sobrevivente de acidente

Por G1 MG | 6 de dezembro de 2020 às 1:00

Foto: Reprodução/TV Globo

A Solange Pereira da silva é mais uma sobrevivente do acidente que matou 18 pessoas na tarde desta sexta-feira (4) e conseguiu pular do ônibus antes que ele caísse.

Solange estava em busca de notícias do filho. O socorrista voluntário, Renato Carvalho, ajudou no resgate de todas as vítimas e a tranquilizou, “eu atendi o filho dela, ele estava estável”.

“Quando eu levantei, o pessoal estava pulando e eu pulei também, quando eu pulei no chão, não vi mais nada, fui acordar no hospital”.

O administrador de empresas em João Monlevade faz parte de um dos grupos credenciados pelo Corpo de Bombeiros e atua como resgate na cidade.

De acordo com o último balanço disponibilizado pela polícia, 46 pessoas se envolveram no acidente. Dezoito morreram e 23 ficaram feridas. Dez pessoas continuam internadas no Hospital Margarida e três no Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, em Belo Horizonte. Familiares de feridos em busca de informações podem procurar a Polícia Civil pelo telefone (31) 3851-2411.

Investigação

A Polícia Civil ouviu oito pessoas que estavam no ônibus para dar sequência as investigações das causas do acidente. Segundo a comporação, as vítimas foram ouvidas no Albergue Municipal, para onde foram levadas após atendimento médico.

A Polícia Civil informou, no fim da tarde do último sábado (5), que tenta identificar o motorista que pulou do ônibus e fugiu.

Lista de mortos no acidente

  • Caio Lucas Santos
  • Cícero Jeferson Andrade da Silva
  • Cícero Oliveira Lima
  • Clemilton Santos Nascimento
  • Denise Maria do Nascimento
  • Elias Vieira Batalha
  • Joelson Queiroz dos Santos
  • José Ricardo da Silva
  • José Roberto Santos da Silva
  • Lázaro Santos Barbosa
  • Manoel José da Silva
  • Marcondes Teixeira lima
  • Maria Silma da Silva Batalha

Cinco mortos ainda não haviam sido identificados até as 18h.

Transporte irregular

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) informou que o ônibus não tinha autorização. “A empresa está cadastrada na ANTT e tem um Termo de Autorização para prestação de serviço regular concedido pela Justiça, por liminar. No entanto, o veículo em questão não estava habilitado para prestar o serviço de transporte de passageiros”, disse o órgão.

O ônibus com placa “DTD-7253”, de Mata Grande (AL), já havia sido autuado três vezes, em 2019, por transporte irregular de passageiros.

A Prefeitura de Mata Grande (AL) disse que o ônibus saiu de Santa Cruz do Deserto, que fica na zona rural do município, e pegou passageiros por cidades vizinhas como Delmiro Gouveia e Água Branca. O ônibus passa pela Bahia, por Minas e chegaria até São Paulo. A cidade decretou luto oficial por três dias.

A Localima Turismo emitiu uma nota na qual expressa pesar e tristeza pelas vítimas e familiares e diz que deve prestar “total assistência” a eles. A empresa afirmou, ainda, que os fatos estão sendo apurados e que está à disposição para suporte “humano, digno, com compaixão e empatia”.

Deixe aqui seu Comentário

ENQUETE
  • Você está tomando os cuidados necessários para o coronavírus?

    Carregando ... Carregando ...
  • INSTAGRAM
    Radar notícias © 2014 - 2021 Todos os direitos reservados.