Governo de AL assina decreto que estabelece a Política de Atenção Integral à Saúde da Mulher

Por Redação | 25 de outubro de 2020 às 18:00

Foto: Thiago Sampaio

O governador Renan Filho assinou, na manhã desta sexta-feira (23), o decreto que dispõe sobre a Política Estadual de Atenção Integral à Saúde da Mulher. A assinatura ocorreu durante o lançamento do Ame-se, Programa Estadual de Reconstrução Mamária. A solenidade foi realizada no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, em Maceió.

O decreto estabelece as diretrizes básicas para a atenção integral à saúde da mulher, os objetivos gerais e específicos; além das estratégias necessárias para a concretização desta política.  Assim, a rede pública do Estado de Alagoas deve estar orientada e capacitada para promover a saúde da população feminina, o controle de patologias mais prevalentes e a garantia do direito à saúde.

Renan Filho afirmou que para garantir o direito à saúde é preciso ter uma rede pública hospitalar adequada, condição esta que o Governo de Alagoas vem alcançando com a construção de um novo parque hospitalar, por meio de unidades instaladas tanto na capital como no interior do estado.

“Não adianta fazer uma lei na Assembleia Legislativa se o Estado não tiver hospital. Nós tivemos de fazer o Hospital da Mulher, o Hospital Metropolitano, viabilizar os recursos na saúde e esse tem sido o grande avanço de Alagoas. Hoje a gente tem condições de resolver problemas históricos. A reconstrução mamária será um, mas aqui nós faremos transplantes de rim, de fígado e de coração na rede pública, coisas que eram inimagináveis num passado recente, mas que agora são possíveis justamente pelo novo parque hospitalar construído”, disse o governador, citando a entrega dos hospitais regionais do Norte, em Porto Calvo, e da Mata, em União dos Palmares; além do Metropolitano e da Mulher, estes em Maceió.

Segundo Renan Filho, a meta do Programa Ame-se é zerar, até outubro do próximo ano, a fila de mulheres mastectomizadas por causa do câncer em Alagoas e que precisam realizar a reconstrução mamária.

“Alagoas tinha uma baixa capacidade de fazer a reconstrução mamária. Apenas o Hospital Universitário fazia entre quatro a cinco reconstruções por ano. Nós temos uma fila de duzentas mulheres e nós vamos zerar essa fila até outubro do ano que vem”, assegurou.

O secretário de Estado da Saúde, Alexandre Ares, acrescentou que após finalizar a demanda reprimida, a rede passará a fazer a reconstrução mamária de imediato. “A mulher que precisar fazer a mastectomia, no mesmo momento o cirurgião plástico irá atuar na própria cirurgia para fazer a reconstrução mamária”, destacou Ayres.

De acordo com ele, os atendimentos ambulatoriais do Programa Ame-se já começam na próxima segunda-feira (26) no Hospital Metropolitano de Maceió. “As mulheres que já possuem os exames terão preferência. As que não têm exame válido, vão poder acessá-los no Metropolitano, fazendo todo o pré-operatório lá e, a partir daí, com o acompanhamento das médicas mastologistas alagoanos, vamos iniciar as cirurgias”, detalhou.

Ayres anunciou, ainda, que as mulheres alagoanas poderão realizar a mamografia de rastreamento preventivo contra o câncer de mama já a partir dos 40 anos. A ação ocorre com base em estudos do Instituto Nacional do Câncer (Inca) que apontam para o aumento significativo do número de mulheres diagnosticadas com a doença na faixa dos 40 anos.

Agência Alagoas 

Deixe aqui seu Comentário

ENQUETE
  • Você está tomando os cuidados necessários para o coronavírus?

    Carregando ... Carregando ...
  • INSTAGRAM
    Radar notícias © 2014 - 2020 Todos os direitos reservados.