Haddad defende ‘acordo público’ entre partidos para derrotar Bolsonaro em 2022

Por Redação com Bahia.ba | 10 de fevereiro de 2021 às 16:00

Crédito: Divulgação

O candidato derrotado nas últimas eleições presidenciais Fernando Haddad (PT) defendeu uma união entre os partidos que fazem oposição ao governo de Jair Bolsonaro (sem partido) para derrotá-lo nas urnas em 2022. Em entrevista ao UOL nesta quarta-feira (10), o ex-prefeito de São Paulo afirmou que o antibolsonarismo “é muito maior” do que o antipetismo.

Haddad comentou sobre um possível segundo turno entre Bolsonaro contra o governador João Doria (PSDB-SP) ou o apresentador Luciano Huck e defendeu a formalização de um acordo entre os partidos.

“Um acordo público para não acontecer o que aconteceu em 2018, qualquer que seja o representante das oposições. Porque quem tem que responder essa pergunta é quem votou no Bolsonaro no segundo turno, conhecendo o Bolsonaro”, pontuou.

“Não pode ser um compromisso só do PT, tem que ser um compromisso geral. É um compromisso das oposições que esse projeto está destruindo o país? Então nós temos condição de conversar”, completou.

Ainda na entrevista, o ex-ministro da Educação afirmou que o candidato dele para as próximas eleições é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que atualmente está vetado pela Lei da Ficha Limpa. Na última semana, Haddad confirmou pré-candidatura em 2022, caso Lula ainda esteja impedido.

“Ele (Lula) me chamou para uma conversa no último sábado e disse que não temos mais tempo para esperar. Ele me pediu para colocar o bloco na rua e eu aceitei”, disse o ex-presidenciável em entrevista à TV 247 na última sexta-feira (05).

Deixe aqui seu Comentário

Radar notícias © 2014 - 2021 Todos os direitos reservados.