Inhotim retira funcionários e visitantes por precaução, mesmo não sendo atingido, até o momento, por lama

Os rejeitos atingiram a área administrativa da companhia, inclusive um refeitório, e parte da comunidade da Vila Ferteco.

Por Redação com G1 | 26 de janeiro de 2019 às 0:19

 

Uma barragem da mineradora Vale se rompeu nesta sexta-feira (25), em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Imagens aéreas mostram que um mar de lama destruiu casas da região do Córrego do Feijão. De acordo com o governo de MG, há ao menos sete pessoas mortas, ainda não identificadas.

 

O rompimento ocorreu no início da tarde de hoje, na Mina Feijão. A Vale informou sobre o acidente à Secretaria do Estado de Meio-Ambiente às 13h37. Os rejeitos atingiram a área administrativa da companhia, inclusive um refeitório, e parte da comunidade da Vila Ferteco.

 

Há ao menos sete pessoas feridas. O Corpo de Bombeiros informou por volta das 20h45 que havia aproximadamente 150 pessoas desaparecidas e divulgou uma lista de pessoas resgatadas vivas. Os bombeiros afirmam também que as sirenes de emergência não tocaram.

 

Foram retiradas nove pessoas com vida da lama e cerca de 100 pessoas ilhadas foram resgatadas. Quase 100 bombeiros estão no local, e devem chegar a 200 a partir da madrugada deste sábado (26).

 

A empresa diz que, dos 427 empregados que estavam no local, apenas 279 foram localizados. Segundo o presidente da Vale, Fábio Schvartsman, vazaram 12 milhões de metros cúbicos de rejeitos – na tragédia de Mariana, há 3 anos, foram 43,7 milhões.

 

Segundo o presidente da Vale, uma das barragens se rompeu e o vazamento do rejeito também fez outra barragem transbordar. Ele diz que a barragem que rompeu não era usada há três anos. Ainda não há informação sobre a causa do rompimento.

 

Publicidade:

Deixe aqui seu Comentário

ENQUETE
  • Como você avalia a gestão de Maristela Sena em Piranhas?

    Resultado da Enquete

    Carregando ... Carregando ...
  • INSTAGRAM
    Radar89 © 2014 - 2017 Todos os direitos reservados.