Pedidos de prisão e afastamento pelo MPE e assembleia do Sinteal são os assuntos mais comentados da semana

Por Redação Radar Notícias | 5 de outubro de 2019 às 6:00

A semana na Terra do Pioneiro, Delmiro Gouveia, foi bastante movimentada. Dois assuntos foram amplamente discutidos nas rodas de conversas e redes sociais – Os pedidos de prisão e afastamento do prefeito, secretários e vereadores e a Assembleia Geral do Sinteal sobre a destinação dos precatórios.

Na tarde de ontem (3), a cidade acompanhou a divulgação do pedido de prisão do prefeito Padre Eraldo (PSD), de secretários da gestão dele, além de vereadores. A normativa foi através do procurador-geral do Ministério Público Estadual (MPE), Alfredo Gaspar de Mendonça Neto.

O MPE pediu ao Tribunal de Justiça (TJ/AL), a prisão do prefeito e dos vereadores, Ezequiel de Carvalho, conhecido como Kel, Fabíola Marques, Kinho, Júnior Lisboa, Raimundo Valter (Casa Grande) e Marcos Costa. Além do ex-vereador do município, Valdo Sandes.

Na lista de secretários, Patrícia Brasil, da pasta do Turismo, Estevão Firmão,  de Agricultura, Jasiel Belizário, a frente da pasta Meio Ambiente e Paulo Campos, chefe de gabinete, tiveram o pedido de afastamento dos cargos solicitado pelo procurador-geral.

Os secretários que já passaram pela gestão e que hoje em dia, não exercem nenhuma função, também aparecem na lista de afastamento. São eles: Silvio Clécio (Governo), Raul Santos (Finanças), Pedão (Infraestrutura), Lurdinha (Assistência Social), Ib Heber Pita (Saúde), Luciano Aguiar (Meio Ambiente). Gilberto Pitágoras que está à frente da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), também aparece como solicitado para ser afastado do cargo.

Ainda de acordo com o procurador-geral, a suspeita é desvio de milhões de reais em contratos de licitação realizados na atual administração. A decisão dos pedidos de prisão e afastamento vai ser realizado pelo TJ.

Assembleia Sinteal

Nesta semana, o Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Alagoas (Sinteal), através do Núcleo Regional de Delmiro Gouveia, convocou uma Assembleia Geral, que foi realizada na úlrtima quinta-feira (3), para discutir o valor dos precatórios do Fundef.

O que parecia ser uma solução, acabou virando um problema. Após a convocação do órgão, a prefeitura de Delmiro Gouveia, através da Secretaria de Educação, enviou uma nota ao Sinteal, onde afirmou que a gestão municipal não reconhecia a Assembleia Geral do órgão. Os professores solicitam que parte da verba seja rateada com a categoria. A discussão tem gerado bastante polêmica.

Deixe aqui seu Comentário

ENQUETE
  • Você está tomando os cuidados necessários para o coronavírus?

    Carregando ... Carregando ...
  • INSTAGRAM
    Radar notícias © 2014 - 2021 Todos os direitos reservados.