Projeto Sertão Vivo vai beneficiar 38 mil famílias alagoanas

Por sertao na hora | 26 de outubro de 2023 às 9:59

O governador Paulo Dantas participou nesta terça-feira (24), no Palácio do Planalto, em Brasília, do lançamento do “Sertão Vivo, Semeando Resiliência Climática em Comunidades Rurais no Nordeste”. Ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e dos demais governadores da região, ele acompanhou a apresentação do projeto que destinará R$ 150 milhões para 38 mil famílias de Alagoas. O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Aloizio Mercadante, fez o detalhamento do projeto.

A iniciativa prevê a aplicação de R$ 1,775 bilhão em todo o Nordeste e pretende apoiar a população rural do semiárido, incluindo agricultores familiares, assentados da reforma agrária e comunidades tradicionais. “O Governo Federal vai trabalhar pelo semiárido nordestino financiando projetos que garantam acesso à água, segurança alimentar e demais necessidades básicas da população em meio às temporadas de seca e chuva ou eventos climáticos extremos”, disse o governador.

Alagoas está habilitada no edital Sertão Vivo do BNDES, que vai beneficiar 38 mil famílias em 27 municípios do semiárido alagoano, em um prazo de quatro anos. Foram contemplados Água Branca, Batalha, Belo Monte, Canapi, Carneiros, Coité do Noia, Craíbas, Dois Riachos, Estrela de Alagoas, Girau do Ponciano, Igaci, Inhapi, Jacaré dos Homens, Major Izidoro, Maravilha, Mata Grande, Minador do Negrão, Monteirópolis, Olho D’Água do Casado, Olivença, Ouro Branco, Pão de Açúcar, Pariconha, Poço das Trincheiras, São José da Tapera, Senador Rui Palmeira e Traipu.

FORTALECIMENTO

Mercadante, afirmou que o Sertão Vivo é estratégico para o Brasil e para a melhoria das condições de vida da população. “Esse não é apenas um projeto social, mas um campo de pesquisa para o futuro, com tecnologia social, experiência de acúmulo de água e variedade de produção”, afirmou.

“O BNDES já liberou na atual gestão para a economia nordestina R$ 7,2 bilhões e temos R$ 5,3 bilhões aprovados, vamos financiar R$ 25 bilhões na infraestrutura do Nordeste, com mobilidade, saneamento, portos e aeroportos, R$ 17 bilhões em energia e parabenizamos o Consórcio Nordeste pela qualidade dos projetos e vamos fazer história no enfrentamento ao aquecimento global e no combate à fome”, comentou.

A expectativa é de que o programa transforme o semiárido nordestino em referência para solução dos desafios impostos pelo aquecimento global. Os agricultores familiares beneficiados deverão adotar princípios e práticas que proporcionem acesso à água, aumentem a produtividade e a segurança alimentar das famílias beneficiadas, ampliem a resiliência dos sistemas de produção agrícola, restaurem ecossistemas degradados e promovam a redução das emissões de gases do efeito estufa.

COMO SERÁ

Os recursos serão destinados pelo BNDES e o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) das Nações Unidas (ONU). Dos R$ 150 milhões que serão repassados, R$ 126 milhões são recursos reembolsáveis (financiamento) e R$ 24 milhões não reembolsáveis (doações). A iniciativa irá beneficiar 38 mil famílias (cerca de 150 mil pessoas) em situação de vulnerabilidade social no estado. A parte dos recursos a ser financiada, que será contratada pelos governos estaduais, não ocasiona ônus financeiro aos beneficiados, que irão receber o apoio integralmente na forma não reembolsável.

Deixe aqui seu Comentário

Radar notícias © 2014 - 2024 Todos os direitos reservados.