Sou Rafael Machado, 27 anos, ex-morador de rua, ex-usuário do crack. Eu sou um sobrevivente

Por Cada Minuto | 21 de dezembro de 2017 às 8:34

Entrei para o mundo das drogas aos 12 anos de idade, e por conta disso larguei os estudos e ballet na academia de ballet Maria Emília Clark. Eu era um dos bailarinos de destaque.

 

Eu só fumava maconha, até um dia que uns amigos da escola me apresentaram o crack, a pedra maldita, a pedra da perdição. Assim que fumei a primeira não quis para mais. Perdi o real domínio do meu governo não quis mais saber de estudar. Comecei a roubar em casa, levando tudo da minha mãe, até chegar ao ponto da minha mãe abandonar a casa, porque eu já tinha vendido tudo.  Aos 13 anos de idade fui para rua me prostituir para comprar drogas.

 

Sai de casa para morar nas ruas de Maceió. Comecei a me prostituir. Levei quase a metade da vida nesta situação vulnerável, por conta das drogas. Eu achava que não tinha mais saída para minha vida, até que conheci um programa de saúde que se chamava “Fique de Boa” e que hoje se chama “Consultório na Rua”

 

Foi a partir do programa que conheci o CAPS e lá que começou a aparecer as minhas esperanças. Levou tempo, mas, as mudanças aconteceram, abandonei as drogas e hoje sou Coordenador da População de Rua de Alagoas.

 

Eu sou um sobrevivente e quero poder ajudar outras pessoas, e, é por isso que vou começar a escrever minhas experiências e dos moradores de rua nesse blog: É Nóis, no PaPo Reto.

Deixe aqui seu Comentário

ENQUETE
  • Você está tomando os cuidados necessários para o coronavírus?

    Carregando ... Carregando ...
  • INSTAGRAM
    Radar notícias © 2014 - 2020 Todos os direitos reservados.