Trotes ao Samu prejudicam atendimentos às ocorrências nos finais de semana

Por Agência Alagoas | 19 de novembro de 2020 às 1:00

Carla Cleto e João Victor Barroso

O final de semana está chegando e, com ele, o trabalho para os socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Alagoas também aumenta, tanto com a assistência prestada no local da ocorrência, como no número de orientações médicas passadas pelo número 192. O número de ocorrências nos primeiros 12 dias do mês de novembro para as Centrais de Maceió e Arapiraca do Samu Alagoas é de aproximadamente de 200 atendimentos por dia.

O que chama atenção são os números registrados durante os finais de semana. No primeiro dia do mês, um domingo, véspera de feriado, o sistema 192 registrou 273 ocorrências feitas pelos socorristas do Samu em todo o Estado e, no último sábado (7), foram 250 atendimentos.

Junto ao aumento das chamadas, os trotes continuam chegando para o número 192, atrapalhando o fluxo de atendimento estabelecido dentro do Samu Alagoas. Até esta quinta-feira (12), foram 4.348 trotes recebidos durante o mês de novembro.

De acordo com Josileide Costa, supervisora geral do Samu Alagoas, o aumento nas ocorrências durante os finais de semana, geralmente, envolve os acidentes trânsito. “As colisões de trânsito sempre chamam mais a atenção durante os finais de semana, assim como as agressões físicas, os ferimentos por arma branca e por arma de fogo, além de todos os outros casos de urgência e emergência que atendemos durante os nossos plantões”, ressalta.

Conscientização – A supervisora geral, que também é médica do Samu Alagoas, reforça o apelo que tem sido feito para que a população não passe trote para os serviços de emergência. “O trote não é uma brincadeira, o trote traz consequências. Um minuto vale uma vida e, se nesse minuto, uma pessoa que realmente estiver precisando de um atendimento, não receber uma assistência de saúde, ela pode morrer, ou ficar com graves sequelas. Por isso, o nosso atendimento precisa ser rápido e o trote acaba congestionando as linhas do 192, prejudicando o trabalho dos socorristas”, salienta.

Ações contínuas – Para tentar mudar a realidade dos trotes, o Samu Alagoas há seis anos, em parceria com a Universidade Federal de Alagoas (Ufal), desenvolve o projeto de extensão Samu nas Escolas, levando informação e conscientização para jovens e crianças em instituições públicas e privadas de ensino.

Outro projeto é o Conheça o Samu, que leva até centros de grande circulação de pessoas, informações sobre a instituição, e conscientizando a população sobre os prejuízos que os trotes causam para a o Samu e para os alagoanos.

Deixe aqui seu Comentário

ENQUETE
  • Você está tomando os cuidados necessários para o coronavírus?

    Carregando ... Carregando ...
  • INSTAGRAM
    Radar notícias © 2014 - 2020 Todos os direitos reservados.