Wesley Safadão explica perda de peso e entrega: ‘Já estava batendo 92 kg’

Por Pure People | 27 de dezembro de 2020 às 8:00

Foto: Redes Sociais

Exibindo o corpo definido em fotos na web, Wesley Safadão falou sobre as mudanças no físico e a nova rotina de exercícios. No “É de Casa”, o cantor disse o que o levou a perder alguns quilinhos.

“Eu engordei na pandemia, fomos para fazenda. Os dois meses em que ficamos lá era churrasco, cerveja, cachaça. Minha mulher chegava e falava pra eu caminhar. E eu não queria. Já estava batendo 92 kg. Depois, comecei a treinar e a me sentir muito bem. Dei uma melhorada boa. Nunca gostei de academia, mas agora eu gosto”, falou neste sábado (26).

WESLEY SAFADÃO FALA DA NOVA ROTINA EM FAMÍLIA

Ainda em conversa com Cissa Guimarães, Wesley deu detalhes do dia a dia em família e destacou algumas mudanças que esse ano trouxe para a sua vida.

“Eu quero muito voltar a cantar, trabalhar, voltar para a estrada. Mas eu tenho uma outra vida hoje. Estou sem palavras, é muito bom dormir ao lado da minha esposa todos os dias, botar os filhos para dormir, sair para trabalhar, pegar na escola”, afirmou o pai de Yhudy, de 10 anos, Ysis, de 6, e do pequeno Dom, de 2, sucesso nas redes sociais do artista.

CANTOR NÃO USA O TEMPO LIVRE APENAS PARA DIVERSÃO

“Eu quero muito voltar a cantar, trabalhar, voltar para a estrada. Mas eu tenho uma outra vida hoje. Estou sem palavras, é muito bom dormir ao lado da minha esposa todos os dias, botar os filhos para dormir, sair para trabalhar, pegar na escola”, afirmou o pai de Yhudy, de 10 anos, Ysis, de 6, e do pequeno Dom, de 2, sucesso nas redes sociais do artista.

MÚSICO RETOMA SHOWS NA PANDEMIA E REBATE CRÍTICAS

Em meados de novembro, Wesley se apresentou em Natal, no Rio Grande do Norte. Alvo de reclamações por se apresentar no meio da pandemia, Safadão opinou que é possível voltar a fazer shows seguindo as normas da OMS e os moldes de flexibilização.

“Só o meio do entretenimento ainda não voltou. Bares voltaram, shopping voltou. Tudo voltou a funcionar. E eu não acredito que as pessoas só peguem covid depois de 20h, 22h. Só peguem nos shows. A nossa classe artística, e aqui não falo só por mim, mas os grandes artistas do país, conseguem outras fontes de renda. Quem está sendo muito prejudicado são os artistas menores, é o cara do palco, do som, da luz, do banheiro químico, da limpeza e os produtores de evento que só vivem disso”, pontuou.

“A gente não pode ser privado, por isso levantei essa bandeira. Não quero ser o salvador da pátria, mas não estou fazendo só por mim. Eu tinha até opção de ficar quieto e não levar críticas. As pessoas perguntam: ‘Achou a cura?’. Eu digo: ‘Nos shoppings acharam a cura? E nos aviões? E na praia?’”, rebateu.

Deixe aqui seu Comentário

Radar notícias © 2014 - 2021 Todos os direitos reservados.