Assembleia Legislativa de Alagoas tem 40% de renovação

Por Redação | 6 de outubro de 2014 às 13:20

30b6f04c48cfb900ca31ed43e8a3c1aaA Assembleia Legislativa de Alagoas terá 40% de renovação com o resultado da disputa eleitoral deste ano, divulgado na noite deste domingo (05). Ao todo, a Casa de Tavares Bastos terá, na próxima legislatura, a partir de 2015, 11 novos deputados estaduais. O candidato mais votado foi o ex-superintendente do Procon em Alagoas Rodrigo Cunha (PSDB), filho da ex-deputada federal Ceci Cunha e que obteve mais de 60 mil votos, ajudando sua coligação (PSDB/PRB) a eleger cinco candidatos, entre eles, o ex-vereador por Maceió Galba Novaes (PRB).

Além dele, também estreiam no Legislativo Estadual Tarcizo Freire (PSD), Davi Davino (PSB), Pastor João Luiz (DEM), Jairzinho Lira (PRTB) e Carimbão Júnior (PROS). Já quem retorna à Assembleia é o deputado federal Francisco Tenório (PMN). Outros três vão substituir parentes. É o caso de Bruno Toledo (PSDB), filho do atual presidente da Mesa Diretora, o deputado Fernando Toledo; Gilvan Barros (PSDB), filho do deputado de mesmo nome; e Jó Pereira (DEM), irmã do deputado Joãozinho Pereira. 

Os deputados que conseguiram se reeleger foram os seguintes: Ricardo Nezinho (PMDB), Inácio Loiola (PSB), Antônio Albuquerque (PRTB), Marcelo Victor (PROS), Sérgio Toledo (PDT), Olavo Calheiros (PMDB), João Beltrão (PRTB), Severino Pessoa (PPS), Thaíse Guedes (PSC), Marcos Barbosa (PPS), Isnaldo Bulhões (PDT), Dudu Hollanda (PSD), Marquinhos Madeira (PT), Edval Gaia (PSDB), Luiz Dantas (PMDB) e Ronaldo Medeiros (PT).

Houve também quem, apesar do mandato, não conseguiu se reeleger. Foi o caso de Judson Cabral (PT), mesmo com 17 mil votos, – seu partido, que não coligou com nenhuma outra legenda, fez apenas dois deputados, Marquinhos Madeira e Ronaldo Medeiros, nesta ordem. Além dele, Jeferson Morais (DEM) foi outro a não se reeleger, assim como o deputado Jota Cavalcante (PDT).

João Henrique Caldas (SD) vai deixar a Assembleia para assumir mandato de deputado federal, mas não conseguiu ver o pai, João Caldas, eleito deputado estadual. O ex-prefeito de São Luiz do Quitunde, Cícero Cavalcante (PMDB), que é pai da deputada estadual Flávia Cavalcante e que obteve expressiva votação, com mais de 22 mil votos, também não logrou êxito, e por motivo semelhante, devido à matemática da eleição proporcional.

Já os deputados Maurício Tavares (PTB), Nelito Gomes de Barros (PSDB) e Temóteo Correia (DEM) não disputaram nenhum mandato eletivo. 

Coligação PDT/PMDB/PSC/PTB/PSD (oito eleitos):

Ricardo Nezinho (PMDB)
Sérgio Toledo (PDT)
Olavo Calheiros (PMDB)
Thaíse Guedes (PSC)
Tarcizo Freire (PSD)
Isnaldo Bulhões (PDT)
Dudu Hollanda (PSD)
Luiz Dantas (PMDB)

Coligação PSDB/PRB (cinco eleitos):

Rodrigo Cunha (PSDB)
Bruno Toledo (PSDB)
Gilvan Barros Filho (PSDB)
Galba Novaes (PRB)
Edval Gaia (PSDB)

Coligação PP/PPS/PSDC/PRP/PR/PSL/PSB/SD/DEM (seis eleitos):

Jó Pereira (DEM)
Inácio Loiola (PSB)
Severino Pessoa (PPS)
Marcos Barbosa (PPS)
Davi Davino (PSB)
Pastor João Luiz (DEM)

Coligação PRTB/PPL/PMN (quatro eleitos):

Antônio Albuquerque (PRTB)
Jairizinho Lira (PRTB)
João Beltrão (PRTB)
Francisco Tenório (PMN)

Coligação PROS/PTdoB/PHS/PCdoB/PV (dois eleitos):

Marcelo Victor (PROS)
Carimbão Júnior (PROS)

PT (dois eleitos):

Marquinhos Madeira
Ronaldo Medeiros

Deixe aqui seu Comentário

ENQUETE
  • Você está tomando os cuidados necessários para o coronavírus?

    Carregando ... Carregando ...
  • INSTAGRAM
    Radar notícias © 2014 - 2020 Todos os direitos reservados.