Atuação do Grupamento Aéreo reforça ações estratégicas da Segurança Pública em Alagoas

Setenta profissionais em aeronaves contribuem para sucesso de ações policiais, socorros e resgates, além de agilizar atendimentos de saúde

 

Um feixe de luz vindo do céu observa as noites nos bairros e cidades de Alagoas numa rotina de patrulhamento que começou há quatro anos. Durante o dia, policiais, bombeiros, médicos e enfermeiros podem cruzar o espaço aéreo alagoano em salvamento de pessoas enfermas e feridas, atuar em busca de pessoas e veículos desaparecidos, transportar a tropa, ou atuar em perseguições e operações policiais. São fatos diferentes que envolvem as cinco aeronaves da Chefia Especial Aérea da Segurança Pública (Caesp).

 

As estatísticas da Chefia Aérea mostram que, de janeiro de 2015 até a metade do mês de março deste ano, as aeronaves participaram ativamente de diversas ações de Segurança Pública e seus órgãos integrados. Como resultados, foram feitos 792 voos que auxiliaram prisões, outros 356 que contribuíram para apreensões de armas de fogo e de drogas; as aeronaves também colaboraram na recuperação de 171 veículos e fizeram 768 transportes aeromédicos e resgates.

 

A denominação Falcão batiza os helicópteros e define as funções principais de cada um. Com destaques para o Falcão 02, que tem farol de busca e faz patrulhamento com voos noturnos; o Falcão 04, com base em Arapiraca para atender todo o Agreste e Sertão alagoano; e o Falcão 05, dotado com equipe e material especializados para transporte aeromédico.

 

Michel Temer chega à Superintendência da PF no Rio; ex-presidente vai ficar sozinho em sala

Temer falou por telefone ao jornalista Kennedy Alencar, da CBN, no momento em que havia sido preso. O ex-presidente afirmou que a prisão “é uma barbaridade”.

Temer chega à sede da Polícia Federal no Rio — Foto: REUTERS/Ricardo Moraes

 

Preso nesta quinta-feira (21) em São Paulo, pela Força-Tarefa da Lava Jato no Rio, o ex-presidente Michel Temer chegou à Superintendência da PF no Rio por volta das 18h38. O ex-presidente ficará sozinho na sala do corregedor da PF, no terceiro andar do prédio. É uma das poucas no edifício que tem banheiro privativo.

 

Na porta do prédio havia um grande número de jornalistas e alguns manifestantes com cartazes aguardando a chegada de Temer. Alguns manifestantes chegaram a dar tapas e socos em viaturas do comboio da PF.

 

Por volta das 19h30, o cômodo onde Temer ficará preso ainda estava sendo montado. O espaço terá área de cerca de 20 metros quadrados, com ar condicionado. Há também um frigobar no cômodo.

 

Temer foi trazido de São Paulo em um avião da Polícia Federal, do aeroporto de Cumbica, em Guarulhos e desembarcou na Base Aérea do Galeão. O juiz da 7ª Vara Criminal Federal Marcelo Bretas aceitou o pedido da defesa para que o ex-presidente fique preso em uma sala da Superintendência da Polícia Federal, no Centro do Rio.

 

O ex-ministro da Casa Civil Moreira Franco, também preso na Estrada do Galeão pela Força-Tarefa da Lava Jato no final da manhã desta quinta-feira (21) foi levado para a delegacia da PF no Aeroporto Tom Jobim, o Galeão.

 

Em seguida, encaminhado no mesmo comboio de Temer para a Superintendência da PF e, posteriormente, para a Unidade Especial Prisional da PM, em Niterói. No local está preso desde novembro do ano passado o ex-governador Luiz Fernando Pezão.

Inicialmente, o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, tinha determinado que Temer ficasse preso na Unidade Prisional Especial da PM, em Niterói. O magistrado, porém, acabou atendendo pedido da defesa, alegando isonomia com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e permitiu sua prisão em uma sala na Polícia Federal.

 

A PF cumpriu ao longo do dia 10 mandados de prisão. Os mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, responsável pela Lava Jato no Rio de Janeiro.

 

As prisões de Moreira e Temer são preventivas e tiveram como base a delação de José Antunes Sobrinho, dono da Engevix.

 

O empresário disse à Polícia Federal que pagou R$ 1 milhão em propina, a pedido do coronel João Baptista Lima Filho (amigo de Temer), do ex-ministro Moreira Franco e com o conhecimento do presidente Michel Temer. A Engevix fechou um contrato em um projeto da usina de Angra 3. A investigação é um desdobramento das operações Radioatividade, Pripyat e Irmandade.

 

De acordo com a investigação, que apura os crimes de corrupção, peculato e lavagem de dinheiro, pagamentos ilícitos foram feitos por determinação de José Antunes Sobrinho para o grupo criminoso liderado por Michel Temer, assim como possíveis desvios de recursos da Eletronuclear para empresas indicadas pelo grupo.

 

Segundo a Força-Tarefa, Temer é chefe de uma organização criminosa que atua há 40 anos no Rio de Janeiro. “Michel Temer é o líder da organização criminosa a que me referi, e o principal responsável pelos atos de corrupção aqui descritos”, afirmou o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, na sentença.

Temer falou por telefone ao jornalista Kennedy Alencar, da CBN, no momento em que havia sido preso. O ex-presidente afirmou que a prisão “é uma barbaridade”.

 

Já a defesa de Moreira se pronunciou em nota. “A defesa de Wellington Moreira Franco vem manifestar inconformidade com o decreto de prisão cautelar. Afinal, ele encontra-se em lugar sabido, manifestou estar à disposição nas investigações em curso, prestou depoimentos e se defendeu por escrito quando necessário. Causa estranheza o decreto de prisão vir de juiz de direito cuja competência não se encontra ainda firmada, em procedimento desconhecido até aqui”.

 

Michel Temer e Moreira Franco são presos pela Lava Jato do RJ

Os mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal da capital fluminense

 

O ex-presidente Michel Temer foi preso em São Paulo na manhã desta quinta-feira (21) pela força-tarefa da Lava Jato do Rio de Janeiro. Os agentes também prenderam o ex-ministro Moreira Franco no Rio. A PF cumpre mandados contra mais seis pessoas, entre elas empresários.

 

Preso, Temer foi levado para o Aeroporto de Guarulhos, onde vai embarcar em um voo e será levado ao Rio de Janeiro em um avião da Polícia Federal. O ex-presidente deve fazer exame de corpo de delito do IML em um local reservado e não deve ser levado à sede da PF de São Paulo, na Lapa.

 

Os mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, responsável pela Lava Jato no Rio de Janeiro. A prisão de Temer é preventiva.
Temer falou por telefone ao jornalista Kennedy Alencar, da CBN, no momento em que havia sido preso. O ex-presidente afirmou que a prisão “é uma barbaridade”.

 

Desde quarta-feira (20), a PF tentava rastrear e confirmar a localização de Temer, sem ter sucesso. Por isso, a operação prevista para as primeiras horas da manhã desta quinta-feira atrasou.

 

O G1 falou às 11h40 com o advogado Rafael Garcia, que defende o ex-ministro de Minas e Energia Moreira Franco em um dos inquéritos contra ele no STF, mas ele disse que não estava autorizado a falar e orientou a procurar o advogado Antônio Pitombo. A reportagem ligou para o escritório de Pitombo, mas não conseguiu falar com ele.

 

O MDB, partido do ex-presidente, divulgou uma nota. “O MDB lamenta a postura açodada da Justiça à revelia do andamento de um inquérito em que foi demonstrado que não há irregularidade por parte do ex-presidente da República, Michel Temer e do ex-ministro Moreira Franco. O MDB espera que a Justiça restabeleça as liberdades individuais, a presunção de inocência, o direito ao contraditório e o direito de defesa”, diz o texto.

 

Inquéritos contra Temer

Temer é um dos alvos da Lava Jato do Rio. A prisão teve como base a delação de José Antunes Sobrinho, dono da Engevix. O empresário disse à Polícia Federal que pagou R$ 1 milhão em propina, a pedido do coronel João Baptista Lima Filho (amigo de Temer), do ex-ministro Moreira Franco e com o conhecimento do presidente Michel Temer. A Engevix fechou um contrato em um projeto da usina de Angra 3.
Além deste inquérito, o ex-presidente Michel Temer responde a nove inquéritos. Cinco deles tramitavam no Supremo Tribunal Federal (STF), pois foram abertos à época em que o emedebista era presidente da República e foram encaminhados à primeira instância depois que ele deixou o cargo. Os outros cinco foram autorizados pelo ministro Luís Roberto Barroso em 2019, quando Temer já não tinha mais foro privilegiado. Os inquéritos foram enviados à primeira instância.

 

Michel Temer (MDB) foi o 37º presidente da República do Brasil. Ele assumiu o cargo em 31 de agosto de 2016, após o impeachment de Dilma Rousseff, e ficou até o final do mandato, encerrado em dezembro do ano passado.

 

Eleito vice-presidente na chapa de Dilma duas vezes consecutivas, Temer chegou a ser o coordenador político da presidente, mas os dois se distanciaram logo no começo do segundo mandato.

 

Formado em direito, Temer começou a carreira pública nos anos 1960, quando assumiu cargos no governo estadual de São Paulo. Ao final da ditadura, na década de 1980, foi deputado constituinte e, alguns anos depois, foi eleito deputado federal quatro vezes seguidas. Chegou a ser presidente do PMDB por 15 anos.

Após troca de tiros com traficantes, polícia aprende duas toneladas de pés de maconha em Mata Grande

De acordo com as informações apuradas pela reportagem, a ação foi realizada entre as polícias Civil e Militar.

 

Na tarde desta quarta-feira, 19, foram apreendidos cerca de dois mil e cinquenta pés de maconha no Sítio Boi Vermelho, localizado na zona rural de Mata Grande, no Sertão de Alagoas.

 

De acordo com as informações apuradas pela reportagem, a ação foi realizada entre as polícias Civil e Militar.

 

Segundo o delegado Rodrigo Rocha Cavalcanti (26ª Regional – Delmiro Gouveia), cinco elementos identificados como “Galego de Gentil”, “Collor”, “Chiquinho”, “Dudé” e Adelcio, que seriam responsáveis pelo local ainda chegaram a trocar tiros com a polícia, mas conseguiram fugir pela mata. Todo o material apreendido foi pesado e incinerado logo em seguida; um dos criminosos é acusado de três homicídios no município.

 

Os trabalhos foram coordenados pelos Rodrigo Cavalcanti, Cícero Lima (gerente de Polícia Judiciária da 4ª Área), Daniel Mayer (Piranhas) e Thomaz Acioly (Mata Grande) e também contou com a participação de militares da Companhia de Operações Policiais Especiais do Sertão (COPES-CAATINGA, Pelotão de Operações Policiais Especiais (PELOPES) e Força Tarefa.

 

Delegado descarta primeira versão sobre assassinato de soldado em Arapiraca

Como os dois haviam bebido, ele foi até a casa de um amigo e pediu que os trouxessem para Maceió.

 

O delegado de Homicídios de Arapiraca, Everton Gonçalves, disse que o desentendimento entre o soldado Ivanilton Leão de Farias e o sargento Valterly Barbosa tem motivação ainda desconhecida. A primeira versão apresentada à imprensa era que o soldado Farias havia feito uma brincadeira de mau gosto, que resultou em sua morte. Testemunhas, no entanto, indicaram que os dois se encontraram no bar por acaso e que houve um primeiro contato entre as partes, antes de entrarem em vias de fato, na porta do estabelecimento.

 

O delegado disse que não descarta a possibilidade de ter ocorrido um desentendimento anterior entre as partes e trabalha para esclarecer se foi algo relacionado a profissão ou motivo pessoal. “Valterly estava no bar e o soldado foi encontrar um amigo no mesmo local. Havia uma animosidade entre eles, mas ainda não se sabe o motivo”, disse o delegado.

 

Um compadre do sargento Valterly, detido após sua morte em Maceió, disse em depoimento na Delegada de homicídios de Maceió, que estava no bar quando ocorreu o fato. Após atirar e matar o soldado Farias, Valterly o ameaçou e pediu que o tirasse da cena do crime. Como os dois haviam bebido, ele foi até a casa de um amigo e pediu que os trouxessem para Maceió.

 

No seu depoimento ele também disse que o sargento estava ameaçando se matar, muito nervoso e quando a polícia chegou à sua residência, pela manhã, ele se recusou a se entregar e trocou tiros com a guarnição da Radiopatrulha. Esta testemunha assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por favorecimento pessoal e foi liberado. Já o rapaz que dirigiu o carro até Maceió foi liberado.

Agricultor é morto com mais de 10 tiros na zona rural de Maravilha

Este caso deverá ser investigado pela equipe da Delegacia Distrital de Maravilha, comandada pelo delegado Diego Nunes.

 

O agricultor José Antônio da Silva, de 28 anos foi assassinado com vários disparos de arma de fogo na noite da última sexta-feira (15) no Povoado Cedro, zona rural de Maravilha, município do Médio Sertão de Alagoas.

 

De acordo com informações iniciais apuradas pela Polícia Civil, a vítima estava num estabelecimento conhecido por Bar do Demir, quando vários indivíduos chegaram em um carro dizendo que eram policiais.

 

Os algozes foram em direção a vítima e efetuaram mais de dez disparos de arma de fogo. Eles se evadiram logo em seguida com destino desconhecido. A PC não conseguiu identificação dos suspeitos nem do veículo.

 

Este caso deverá ser investigado pela equipe da Delegacia Distrital de Maravilha, comandada pelo delegado Diego Nunes.

 

Suspeito de assassinar e roubar cobrador no interior do Ceará é preso no Sertão de Alagoas

A dupla, segundo a PC, teria matado a vítima e levaram dinheiro e pertences. O crime ocorreu na cidade de Missão Velha, no interior do Ceará.

Imagem Ilustrativa

 

Um homem – identificado como João Paulo dos Santos Nunes, de 26 anos – foi preso neste sábado (16), na cidade de Delmiro Gouveia, no Sertão de Alagoas, acusado de latrocínio cometido no interior do Ceará.

 

De acordo com o 9º Batalhão de Polícia Militar (BPM), João Paulo foi encontrado no bairro Chácara São Vicente. O crime do qual é suspeito, ocorreu no dia 15 de dezembro de 2018. A vítima, Thiago de Souza Oliveira, de 35 anos, era cobrador de prestações.

 

A prisão de João Paulo se deu em cumprimento de um mandado de prisão. Além do suspeito preso, um outro envolvido, identificado como Flávio Ferreira da Silva, é considerado foragido.

 

A dupla, segundo a PC, teria matado a vítima e levaram dinheiro e pertences. O crime ocorreu na cidade de Missão Velha, no interior do Ceará.

Polícia prende dois suspeitos do atentado contra PM em Carneiros

Os dois suspeitos foram levados até a 2ª Delegacia Regional de Polícia (DRP) para serem ouvidos pela equipe de plantão, do delegado Emanuel David, de São José da Tapera.

PM que foi assassinado / Reprodução redes sociais

 

Equipes da Polícia Militar prenderam neste domingo (17) duas pessoas suspeitas de participarem do atentado a bala contra o policial militar Damião Brasiliano, ocorrido na madrugada de hoje em Carneiros.

 

De acordo com informações obtidas junto ao sargento Braz, da Força Tarefa da PM, um dos presos seria o autor dos disparos contra o militar, já o segundo deu suporte a fuga do primeiro.

 

Ambos foram localizados numa casa do bairro Floresta, em Santana do Ipanema. Braz disse ainda que a prisão ocorreu com apoio de uma equipe do Pelopes, mas que diversas unidades do 7º Batalhão foram mobilizadas e deram suporte desde o ocorrido.

 

Os dois suspeitos foram levados até a 2ª Delegacia Regional de Polícia (DRP) para serem ouvidos pela equipe de plantão, do delegado Emanuel David, de São José da Tapera.

 

Até o fechamento da matéria não conseguimos obter os nomes dos acusados, nem os procedimentos adotados.

SMTT encontra motocicleta abandonada em Delmiro Gouveia, no Sertão de Alagoas

A motocicleta foi conduzida para a Delegacia Regional de Polícia (1ª-DRP), sediada no município.

Radar Notícias

 

A superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) encontrou na madrugada desta sexta-feira, 15, uma motocicleta abandonada na Rua Mascarenhas de Morais, no bairro Eldorado, em Delmiro Gouveia.

 

Segundo a SMTT, ao receberem a denúncia, foram até o local e constataram a veracidade do caso. Pelo fato de ter sido abandonada e a mesma está em um beco do bairro, os agentes sob o comando do diretor Gilberto Pitágoras, acionaram a Polícia Militar para ajudar nas averiguações.

 

A motocicleta foi conduzida para a Delegacia Regional de Polícia (1ª-DRP), sediada no município.

 

Radar Notícias

Ministério Público de Alagoas cumpre mandado de busca e apreensão contra a Prefeitura de Delmiro Gouveia

Está sendo recolhida farta documentação, especialmente contratos e aditivos, processos de pagamento, relatórios e livros de procedimento e fiscalização referentes a diversos tipos de serviços.

Divulgação WhatsApp

 

O Ministério Público Estadual de Alagoas “MPE-AL” iniciou uma operação nesta sexta-feira, 15, na Prefeitura Municipal de Delmiro Gouveia, no Alto Sertão do Estado. O prédio da prefeitura e as secretárias de finanças, administração e comissão permanente de licitação receberam várias visitas durante a manhã, entre elas, o Procurador-Geral de Justiça, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, Policiais Militares do estado e outras autoridades.

 

Sob o comando do procurador-geral e apoio dos promotores Luiz Tenório, Humberto Bulhões, Vicente Porciúncula, João Batista e Bolivar Cruz, a equipe apura supostos fraudes em licitação de diversos tipos de contratos firmados entre o município e empresas de locação, maquinários, escritórios de contabilidade e gerenciamento de contratos e prestadoras de serviço para aquisição de combustível e de produtos de laboratório, com valores aproximados a R$ 20 milhões.

 

O Procedimento Investigatório Criminal (PIC) apura irregularidades em contratos do período entre 2017 e 2019.

 

Está sendo recolhida farta documentação, especialmente contratos e aditivos, processos de pagamento, relatórios e livros de procedimento e fiscalização referentes a diversos tipos de serviços.