Apesar de denúncias de candidatos, MEC nega nova falha no Sisu

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

Apesar de denúncias de candidatos e até o ajuizamento de questões por parte do MPF (Ministério Público Federal), o ministro da Educação, Abraham Weintraub, negou nesta sexta-feira (24) que o Sisu (Sistema de Seleção Unificada) enfrenta novas perdas.

Entre as solicitações de recuperação de alunos que não têm sistema, aparece e o candidato está apto nas duas opções de curso e, com isso, as notas de corte que estão sendo exibidas de modo exagerado.

Weintraub, contudo, diz que “não está tendo problema nenhum no sistema”. O ministro publicou um vídeo nas redes sociais para falar sobre o assunto. Segundo, parte da divulgação de possíveis erros pode ser feita de “forma danosa”, para assustar as pessoas.

No video, o ministro defende ser normal o sistema relacionar uma nota de corte das duas opções de curso. “Aumentou uma disputa pela vaga, uma nota será ajustada.” O MEC estreou neste ano um novo site do Sisu. No dia em que as inscrições foram abertas, terça-feira (21), os candidatos receberam mensagens de que o prazo já foi encerrado.

As inscrições seguem até domingo (26).

País criou 644 mil novas vagas de trabalho em 2019, diz Caged

Foto: Divulgação

O Brasil registrou a criação de 644 mil novas vagas de emprego formal no ano passado, 21,63% a mais que o registrado em 2018. De acordo com o Ministério da Economia, é o maior saldo de emprego com carteira assinada em números absolutos desde 2013.

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta sexta (24), mostram que o estoque de empregos formais chegou a 39 milhões de vínculos. Em 2018, esse número tinha ficado em 38,4 milhões.

Todos os oitos setores da economia registraram saldo positivo no último ano. O destaque ficou com o setor de serviços, responsável pela geração de 382,5 mil postos. No comércio, foram 145,4 mil novas vagas e na construção civil, 71,1 mil. O menor desempenho foi o da administração pública, com 822 novas vagas.

No recorte geográfico, as cinco regiões fecharam o ano com saldo positivo. O melhor resultado absoluto foi o da Região Sudeste, com a criação de 318,2 mil novas vagas. Na Região Sul, houve abertura de 143,2 mil postos; no Nordeste, 76,5 mil; no Centro-Oeste, 73,4 mil; e no Norte, 32,5 mil. Considerando a variação relativa do estoque de empregos, as regiões com melhores desempenhos foram Centro-Oeste, que cresceu 2,30%; Sul (2,01%); Norte (1,82%); Sudeste (1,59%) e Nordeste (1,21%).

Em 2019, o saldo foi positivo para todas as unidades da federação, com destaque para São Paulo, com a geração de 184,1 mil novos postos, Minas Gerais, com 97,7 mil, e Santa Catarina, com 71,4 mil.

De acordo com o Caged, também houve aumento real nos salários. No ano, o salário médio de admissão foi de R$ 1.626,06 e o salário médio de desligamento foi de R$ 1.791,97. Em termos reais (considerado o deflacionamento pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor-INPC), registrou-se crescimento de 0,63% para o salário médio de admissão e de 0,7% para o salário de desligamento, na comparação com novembro do ano passado.

Novas regras

Segundo os dados divulgados hoje, em 2019 houve 220,5 mil desligamentos mediante acordo entre empregador e empregado. Os desligamentos ocorreram principalmente em serviços (108,8 mil), comércio (53,3 mil) e indústria de transformação (35 mil).

Na modalidade de trabalho intermitente, o saldo ficou positivo em 85,7 mil empregos. O melhor desempenho foi do setor de serviços, que fechou 2019 com 39,7 mil novas vagas. No comércio, o saldo ficou em 24,3 mil postos; na indústria da transformação, 10,4 mil; e na construção civil 10 mil. As principais ocupações nessa modalidade foram assistente de vendas, repositor de mercadorias e vigilante.

Já no regime de tempo parcial, o saldo de 2019 chegou a 20,3 mil empregos. Os setores que mais contrataram nessa modalidade foram serviços, 10,6 mil; comércio, 7,7 mil; e indústria de transformação, 1,2 mil. As principais ocupações foram repositor de mercadorias, operador de caixa e faxineiro.

Dados de dezembro

Já no mês de dezembro, o saldo de novos empregos foi negativo. Segundo o Ministério da Economia, o resultado ocorre todos os anos. “Trata-se de uma característica do mês, devido aos desligamentos dos trabalhadores temporários contratados durante o fim de ano, além da sazonalidade naturalmente observada nos setores de serviços, indústria e construção civil”, informou a pasta.

No último mês de 2019, o saldo ficou negativo em 307,3 mil vagas. Em 2018, o saldo de dezembro havia sido de 334,4 mil vagas fechadas. Os maiores desligamentos foram no setor de serviços, com menos 113,8 mil vagas, e na indústria de transformação, com redução de 104,6 mil postos de trabalho. O comércio foi o único a apresentar saldo positivo com 19,1 mil vagas criadas.

Na modalidade de trabalho intermitente, o saldo também foi positivo: 8,8 mil novas vagas em dezembro. Comércio e serviços dominaram as contratações com saldos de 3,7 mil e 3,1 mil novos postos, respectivamente. Já o trabalho parcial teve déficit de 2,2 mil vagas no mês passado.

Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 40 milhões no sorteio deste sábado

Foto: Divulgação

O concurso 2.228 da Mega-Sena deverá pagar neste sábado (25) R$ 40 milhões a quem acertar os seis números. O sorteio será feito a partir das 20h, no Espaço Loterias Caixa, em São Paulo.

As apostas podem ser feitas até às 19h (horário de Brasília) de hoje em qualquer casa lotérica credenciada pela Caixa em todo o país e também pela internet. A aposta simples, com seis dezenas, custa R$ 4,50.

Quanto mais números o apostador marcar, maior será o preço da aposta e maiores as chances de faturar o prêmio.

As informações são da Caixa Econômica Federal.

Governo pretende mudar período usado para corrigir salário mínimo

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O projeto de lei com a nova política de correção do salário mínimo incluirá uma mudança no período usado para definir os reajustes. Em vez do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior fechado, de janeiro a dezembro, o governo pretende usar o índice entre dezembro do ano anterior e novembro do exercício atual para calcular o valor do mínimo para 2021.

A informação foi passada pelo secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues. Em reunião com jornalistas, ele explicou que a medida tem como objetivo prevenir situações como a deste ano, em que o salário mínimo primeiramente foi reajustado para R$ 1.039 e depois aumentou para R$ 1.045, porque a alta dos preços da carne fez o INPC fechar o ano além do previsto.

O sistema é semelhante ao do teto de gastos, em que o governo usa o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de julho do ano anterior a junho do exercício atual para corrigir o limite das despesas federais para o ano seguinte. Segundo Rodrigues, a mudança terá pouco impacto prático no valor final para o salário mínimo, mas dará mais transparência aos reajustes e mais previsibilidade para o governo e os trabalhadores.

O secretário assegurou que o governo preservará a reposição do salário mínimo pela inflação, como está determinado pela Constituição. “Vamos alterar a sistemática de correção do salário mínimo. O INPC só é divulgado dias após o fim do ano. Vamos mudar sem que haja perda”, declarou.

O governo tem até agosto deste ano, antes do envio da proposta do Orçamento de 2021, para apresentar o projeto de lei ao Congresso com a política para o salário mínimo. Rodrigues não especificou se o governo pretende definir o valor do mínimo ano a ano ou se o projeto terá uma política definitiva até o fim do atual governo.

Fontes de recursos

Ao todo, o reajuste do salário mínimo de R$ 1.039 para R$ 1.045 terá impacto de R$ 2,13 bilhões para o governo neste ano. Isso porque o mínimo está atrelado a 80% dos benefícios da Previdência Social, além de corrigir o Benefício de Prestação Continuada (BPC), o abono salarial e o seguro-desemprego, entre outros. Além disso, há um impacto de R$ 1,5 bilhão decorrente da elevação do valor do salário mínimo em relação ao valor original enviado no Orçamento de 2020, de R$ 1.031.

Segundo o secretário especial de Fazenda, o governo pode usar diversas fontes para bancar a correção do salário mínimo. Além de prever maior pagamento de dividendos de estatais (parcela dos lucros que as empresas públicas federais destinam ao Tesouro Nacional), a equipe econômica conta com receitas não incluídas no Orçamento deste ano. Ele citou os leilões das novas rodadas de partilha do pré-sal e de concessão do petróleo na camada pós-sal e os leilões dos excedentes da cessão onerosa dos campos de Atapu e Sépia, que não foram vendidos no leilão realizado em novembro.

Rodrigues mencionou ainda um eventual crescimento da arrecadação federal decorrente da recuperação da economia. Há cerca de dez dias, o governo aumentou a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para 2,4% em 2020. Segundo o secretário, o próximo Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas, a ser divulgado em março, deverá trazer uma estimativa maior.

Programa Educação Inclusiva contemplou mais de 800 pessoas em 2019

Preparar a população para o futuro, com a oferta de cursos profissionalizantes e de capacitação é uma das metas da Prefeitura de Paulo Afonso. A Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) mantém uma equipe de monitoramento para identificar as prioridades e aperfeiçoar a oferta de serviços destinados prioritariamente a pessoas em eventual situação de vulnerabilidade socioeconômica.

O Programa Educação Inclusiva tem se destacado no atendimento voltado para habilitação, qualificação e capacitação de jovens, adultos, idosos e beneficiários do Programa Bolsa Família, criando a oportunidade de darem o primeiro passo para a carreira profissional e satisfação pessoal. O objetivo geral do programa é assegurar o pleno exercício da cidadania e profissionalização, adquirindo valores, conhecimentos, senso de responsabilidade, educação e igualdade.

A secretária interina de Desenvolvimento Social, Cíntia Rosena, ressalta que em 2020, os programas continuam. “Todas as ações da Prefeitura, incluindo os projetos da Sedes, que contam com a atenção especial do prefeito Luiz de Deus, terão continuidade. Para nós, enquanto gestores públicos, é uma satisfação contribuir com a realização dos sonhos das pessoas, para que todos sejam contemplados com os serviços da rede sociassistencial”, afirma.

Em 1992, na primeira gestão do prefeito Luiz de Deus, foi criada a Casa do Estudante de Paulo Afonso em Salvador (Cepa), com a finalidade de oferecer moradia aos estudantes com idade mínima de 18 anos, que cursam universidade na capital do estado. Em 2019, das 21 vagas ofertadas, foram ocupadas 15, beneficiando seis alunas e nove do sexo masculino. 

Também em 2019, o Curso de Informática Básica Itinerante alcançou 325 pessoas com aulas práticas e didáticas em programas avançados de computação e acesso à internet. O curso percorreu o bairro Jardim Bahia, povoados Juá e Malhada Grande, além do Programa Estação Juventude. O benefício é destinado a pessoas com idade a partir de 14 anos, em situação de vulnerabilidade social.

As escolas de informática básica para melhor idade do centro e Bairro Tancredo Neves certificaram 250 alunos com idade a partir de 55 anos. Foram duas turmas em cada escola.

Jovens e adultos concluintes do ensino médio ou superior, residentes nas áreas urbana e rural do município também foram beneficiados com o Curso de Preparação para Concurso. Foram duas turmas de 30 alunos residentes no BTN e duas no centro, totalizando 120 vagas oferecidas. Outro fruto da parceria com a LN Cursos contemplou 30 alunos com o Curso pré-vestibular.

O Projeto Inglês no meu Bairro, ainda em fase de conclusão, no povoado Caiçara, Praça CEU e Programa Estação Juventude, atende a 60 alunos, sendo 20 em cada localidade.

Jovens da área urbana, bairros e povoados fizeram o Curso Preparatório para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O curso teve duração de um ano e beneficiou 30 alunos.

Inflação oficial fica em 0,71% na prévia de janeiro, aponta IBGE

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que mede a prévia da inflação oficial, registrou taxa de 0,71% em janeiro deste ano. O resultado ficou abaixo do 1,05% do IPCA-15 de dezembro, mas acima do 0,30% de janeiro de 2019. Essa é a maior taxa para o mês desde 2016 (0,92%). O dado foi divulgado nesta quinta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A taxa do IPCA-15 acumulada em 12 meses ficou em 4,34%, acima dos 3,91% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores.

A taxa de janeiro foi puxada principalmente pelos alimentos e bebidas, que tiveram inflação de 1,83% e responderam por mais da metade da taxa de 0,71% do IPCA-15. Os principais responsáveis por esse resultado foram as carnes, que tiveram alta de preços de 17,71% no período e foram o item individual com maior impacto. A alimentação fora de casa também teve alta importante, de 0,99%.

Outro grupo de despesas com impacto importante na prévia de janeiro da inflação foi o de transportes, que teve alta de preços de 0,92%. A gasolina teve inflação de 2,64% e foi o segundo item individual com maior impacto no IPCA.

Também tiveram inflação os grupos de despesa vestuário (0,10%), saúde e cuidados pessoais (0,35%), despesas pessoais (0,47%), educação (0,32%) e comunicação (0,02%).

Por outro lado, tiveram deflação (queda de preços) os grupos de despesa habitação (-0,14%) e artigos de residência (-0,01%).

Delmiro: Após prefeito anunciar festa de Carnaval, internet divide opiniões sobre o tema

Imagem foi divulgada nas redes sociais do prefeito

Após o prefeito de Delmiro Gouveia, Eraldo Joaquim Cordeiro (PSD), anunciar nas redes sociais a realização da festa de Carnaval, os internautas logo comentaram a decisão.

Para uns, o gestor deve investir em ações concretas e que mudem a realidade do povo. Para outros, a tradição da festa deve ser mantida. Ainda de acordo com a publicação do gestor, as atrações da festa momesca vão ser divulgadas em breve.

Recentemente, os internautas também comentaram o valor do cachê pago a banda Forró dos Plays, que se apresentou na comunidade de São Sebastião. Para os internautas, o valor de R$ 40 mil poderia ser utilizado para outras finalidades na localidade.

Outra polêmica envolvendo o nome do prefeito foi na festa do Distrito de Jardim Cordeiro, no início do mês. Após a comunidade organizar à festa, a gestão anunciou outra no mesmo dia e horário, o que não agradou aos moradores.

Taxa Selic deve permanecer baixa a médio prazo, apostam economistas

Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

O Copom (Comitê de Política Monetária), em sua última reunião de 2019, alterou a meta da taxa Selic para 4,5% ao ano. Tal redução leva a taxa a patamares mínimos já registrados, devendo assim permanecer a médio prazo, de acordo com economistas.

“Esperamos que a meta para a taxa Selic fique estável em 4,5% ao ano durante o ano de 2020, e com possibilidade de subir para 6,25% ao ano em 2021 e 2022 se tivermos retomada do crescimento econômico e fim da ociosidade na economia”, comenta Rafael Leão, economista chefe da Arazul Capital.

De acordo com o economista, o crescimento econômico deve continuar baixo no curto prazo, o que sustenta a manutenção da Selic no atual patamar – ele não descarta eventuais ajustes (cortes pequenos) em 2020 caso o crescimento novamente não ocorra.

Com esse cenário, o investidor enfrenta um desafio para buscar rentabilidade. A queda da taxa Selic afeta a rentabilidade de investimentos atrelados ao índice, sobretudo os de renda fixa.

“Acabou a época do rentismo onde os títulos de renda fixa pagavam mais de dois dígitos percentuais ao ano praticamente sem risco. É preciso diversificar seus investimentos e se expor ao risco, de maneira controlada, para atingir níveis de rentabilidade atrativos”, comenta Ricardo Hoffmann, especialista da FNW Investimentos.

“Dois investimentos que devem ser considerados são Fundos Multimercados, que possuem certa liberdade para aproveitar as oportunidades de cada mercado, e apresentam relação risco retorno interessante, e Fundos Imobiliários, onde o investidor se torna ‘sócio’ de um investimento imobiliário e recebe aluguéis através de dividendos que são isentos de imposto de renda”, acrescenta.

Petrobras reduz preço da gasolina e do diesel para distribuidoras

Foto: Agência Brasil/Fernando Frazão

A Petrobras confirmou hoje (23) que vai reduzir em 1,5% o preço da gasolina e em 4,1% o preço do litro do diesel para as distribuidoras a partir desta sexta-feira (24). O último reajuste promovido pela empresa havia sido uma redução de 3% nos valores dos dois combustíveis no dia 14 deste mês.

Os preços para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras tem como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais desses produtos mais os custos que os dos importadores, como transporte e taxas portuárias, por exemplo. A paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos. Além disso, o preço considera uma margem que cobre os riscos, entre os quais a volatilidade do câmbio e dos preços.

A gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras são diferentes dos produtos ofertados nos postos de combustíveis. São os combustíveis tipo “A”, ou seja, gasolina antes da sua combinação com o etanol e diesel e também sem adição de biodiesel. Os produtos vendidos nas bombas ao consumidor final são formados a partir do tipo “A” misturados a biocombustíveis.

O preço de venda às distribuidoras não é o único determinante do preço final ao consumidor. Como a lei brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados, as revisões feitas pela Petrobras podem ou não se refletir no preço final, que incorpora tributos e repasses dos demais agentes do setor de comercialização: distribuidores, revendedores e produtores de biocombustíveis, entre outros.

#DeVoltaParaCasa: quinto reforço, Pedro é anunciado pelo Flamengo

Foto: Reprodução/ Flamengo Instagram

Agora é oficial: Pedro é do Flamengo. O centroavante de 22 anos, emprestado pela Fiorentina (ITA), foi anunciado pelo clube rubro-negro na manhã desta quinta-feira (23). Ele havia desembarcado no Rio no último dia 17, e assinou vínculo até o fim deste ano após exames médicos.

Pedro é o quinto reforço do time da Gávea para a temporada. Antes dele foram anunciados – e quase todos já apresentados – Gustavo Henrique, Thiago Maia, Pedro Rocha e Michael chegaram à equipe comandada por Jorge Jesus.

O reforço mais recente chega para atender a um pedido antigo do técnico português por um homem de área. No ano passado, Gabriel Barbosa e Bruno Henrique, atacantes mais móveis, se revezaram na função e tiveram êxito.

Revelado pelo Fluminense, Pedro retorna ao Brasil após ter sido negociado em setembro de 2019 para Fiorentina e receber poucas chances no clube italiano: apenas cinco partidas, somando 59 minutos em campo. O próprio Flamengo utilizou a hashtag #DeVoltaParaCasa no vídeo de anúncio do jogador. O jogador chegou a atuar pelo Rubro-Negro no futsal de base.