Moradores reclamam de quedas de energia elétrica em vários bairros de Delmiro Gouveia

Está na hora de dar um basta, os responsáveis investirem em bons aparelhos e transformadores, intensificar o monitoramento e as atividades de manutenção e estudar ações de proteção da rede no município.

Imagem Ilustrativa

 

Já virou rotina. Todas as vezes que chove e venta, moradores de vários bairros do município de Delmiro Gouveia, ficam sem energia.

 

Várias pessoas reclamaram e informaram que no fim da noite dessa segunda-feira e no início da madrugada desta terça-feira, 5, já houve uma grande quantidade de quedas de luz.

 

“Esse descaso não é de hoje, sempre que chove cai a energia no nosso bairro, isso é falta de preocupação com as pessoas, todos nós pagamos altos valores para que possamos ter em nossas casas e acontece isso. Sem falar nessa lei que Padre Eraldo (Prefeito de Delmiro Gouveia) colocou, já não bastava ter que aguentar essa má gestão e agora também a falta de respeito da Eletrobras”, disse um morador do Bairro Novo.

 

Não é a primeira vez que isso acontece, são inúmeros questionamentos. Está na hora de dar um basta, os responsáveis investirem em bons aparelhos e transformadores, intensificar o monitoramento e as atividades de manutenção e estudar ações de proteção da rede no município.

 

Em contato com a Eletrobras, atendentes informaram que tudo estaria normalizado por volta das 3h30.

 

Publicidade:

Secretaria de Meio Ambiente realiza visita técnica no açude do DNOCS e constata que área não oferece nenhum risco de rompimento

A visita técnica contou com a presença do secretário Jasiel Belizário, a engenheira Sanitarista Ambiental Thaisa de Oliveira, o diretor de departamento Flávio Barbosa e o coordenador financeiro Haroldo Almeida. 

 

A Prefeitura de Delmiro Gouveia, por meio da Secretaria de Meio Ambiente realizou nesta quinta-feira, 31, uma visita técnica no paredão do Açude do DNOCS que fica entre os bairros Pedra Velha e Bom Sossego.

O intuito da visita foi avaliar a estrutura do açude do DNOCS. Durante os trabalhos os profissionais constataram que a área obtém 853 metros de extensão do paredão e uma altura média de 4 metros.

Na visita, os técnicos constataram que a área não oferece nenhuma rachadura que possa provocar rompimento, apenas “RAVINAS” (que são fenômenos geológicos, causados pelas chuvas por onde se torna drenagem natural do local, visto que estas acontecem com mais evidencia quando tem a existência de áreas com ausência de proteção ciliar, ou sem vegetação).

A visita técnica contou com a presença do secretário Jasiel Belizário, a engenheira Sanitarista Ambiental Thaisa de Oliveira, o diretor de departamento Flávio Barbosa e o coordenador financeiro Haroldo Almeida.

 

Publicidade:

Jornalistas são criticados por cobertura em Brumadinho

No YouTube, alguns comentários foram feitos sobre o fato: “Repórter Márcia, onde você viu uma imagem bacana aí?”.

 

A forma como o apresentador Marcão do Povo e a repórter Márcia Dantas, do telejornal Primeiro Impacto, do SBT, têm feito a cobertura do rompimento de uma barragem da Vale em Brumadinho, em Minas Gerais, gerou críticas por parte de seus telespectadores.

 

Mesmo com a presença da repórter em Brumadinho, nas proximidades dos locais onde houve a tragédia e eram realizados trabalhos de busca, Márcia e Marcão demonstraram descontração e bom humor em algumas ocasiões.

 

Em determinado momento, a repórter se preparava para abordar o fato de que o ator Leonardo DiCaprio havia feito uma postagem falando sobre Brumadinho em seu Instagram, e perguntou: “Você assistiu Titanic, Marcão?”

 

“Eu assisti sim, Márcia, claro. Quem não assistiu Titanic? Todo mundo fala que pareço muito com aquele rapaz, o Jack, né? O Leonardo DiCaprio… Não sei se as pessoas estão misturando, mas falam que eu pareço muito com o Leonardo DiCaprio“.

 

Neste momento, é inserido no programa um efeito sonoro de risada. “Mas o que tem a ver o filme Titanic, o Marcão DiCaprio, com o que você vai falar agora? Conta pra mim, Márcia“, prossegue Marcão.

 

“Então… O Leonardo DiCaprio, que eu era fã, tinha álbum, colecionava figurinha dele, tinha caderno, nossa, adorava o Leonardo DiCaprio, ele acabou se revoltando também com essa situação de Brumadinho…”

 

Marcão então interrompe a repórter enquanto ela falava para atentar a um colar com a letra “M” que ela estava usando.

 

“Então é por isso que você colocou esse ‘M’ de ‘Marcão’ aqui? Porque ‘Marcão Caprio’? Então você tem várias fotos minhas, recordações, aí colocou um ‘M’ de ‘Marcão’, é por isso, Márcia? É por isso que você fez isso?”

 

“Para Marcão… Não, não é por isso. Deixa eu falar a informação do Leonardo DiCaprio…”, prossegue Márcia, ainda demonstrando bom humor.

 

‘Imagem bacana’

 

Em outro momento, Márcia Dantas ressalta a visão exclusiva a qual a emissora teve acesso e foi criticada pelo uso da palavra “bacana” ao se referir ao cenário de destruição.

 

“Vou voltar aqui a imagem, é uma imagem muito, muito bacana. É uma imagem exclusiva que a gente tem agora”, diz Márcia.

 

No YouTube, alguns comentários foram feitos sobre o fato: “Repórter Márcia, onde você viu uma imagem bacana aí?”.

 

Algumas respostas foram feitas: “Estranhei também. Pensei que não tinha ouvido isso, tem que ter cautela em tudo, palavras mal faladas”. “Pra você ver. O lugar ficou tão triste e devastado e ela fala isso”.

 

“Imagem bacana? Esses jornalistas são muito frios. Um monte de seres humanos soterrados e você fala que a imagem é bacana. Muito infeliz nas suas palavras…”, questionou outro.

 

Publicidade:

Memorial Delmiro Gouveia será inaugurado dia 14 de fevereiro

Com o memorial, a cidade contará com um equipamento arquitetônico moderno e um novo atrativo turístico para os delmirenses e em especial para os visitantes. 

 

O memorial construído em homenagem ao industrial Delmiro Augusto da Cruz Gouveia, ou simplesmente o visionário Delmiro Gouveia, será inaugurado no dia 14 de fevereiro, dia da Emancipação Política do Município.

 

A obra é considerada uma das maiores homenagens feitas ao empresário, nascido no dia 5 de junho de 1863, em Ipu, no Ceará. Com o memorial, a cidade contará com um equipamento arquitetônico moderno e um novo atrativo turístico para os delmirenses e em especial para os visitantes.

 

Para o prefeito Padre Eraldo, o local será espaço diferenciado para receber um grande número de turistas e todos os delmirenses. “No espaço será disponibilizado uma sala multimídia para a exibição de filmes e documentários, sala de exposição permanente sobre Delmiro Augusto da Cruz Gouveia, sala para reuniões e uma estátua em tamanho natural, reproduzindo o último momento de vida do homenageado”.

 

“Com muita felicidade, no próximo dia (14), estaremos entregando a população delmirense um grande equipamento Turístico Cultural, que está vindo para enriquecer ainda mais a cidade e toda nossa região. É uma obra muito aguardada, tanto pelo seu valor simbólico para cidade, pela sua importância para Educação Patrimonial, quanto para potencializar o turismo, fomentando assim na cidade, a atividade econômica que vem crescendo cada vez mais na região dos Cânions do Rio São Francisco. Sem dúvidas será um grande atrativo, com um acervo muito interessante para todos. Estamos em parceria com a UFAL e SEBRAE, fortalecendo ainda mais esse elo, que tem como intuíto fortalecer o aprendizado e o sentimento de pertencimento de todo cidadão”, ressaltou a secretária de Turismo, Patrícia Brasil.

 

Publicidade:

Padre Eraldo é investigado por suposta prática de improbidade administrativa

O órgão determinou de imediato que os procedimentos de coletas de documentos, certidões, perícias, inspeções e demais diligências fossem realizados.

Arquivo Radar Notícias

 

O Ministério Público do Estado de Alagoas (MPE) instaurou inquérito civil para apurar supostas práticas de atos de improbidade administrativa do prefeito de Delmiro Gouveia, Eraldo Joaquim Cordeiro “Padre Eraldo”.

 

A informação foi publicada no Diário Oficial do Estado desta segunda-feira, 28. O órgão determinou de imediato que os procedimentos de coletas de documentos, certidões, perícias, inspeções e demais diligências fossem realizados.

 

O documento publicado na matéria foi assinado pelo Promotor de Justiça Cláudio José Moreira Teles.

 

A publicação completa do estado está anexada na edição eletrônica do DOE/AL, especificamente na página “73” do Ministério Público.

 

Publicação:

Número de mortos em Brumadinho sobe para 65, e 279 pessoas continuam desaparecidas

As buscas estão sendo feitas por 120 bombeiros de Minas Gerais e 160 enviados de São Paulo, Rio de Janeiro, Alagoas, Espírito Santo e Goiás.

 

A Defesa Civil de Minas Gerais informou, na noite desta segunda-feira (28), que há 65 mortos e 279 desaparecidos após tragédia provocada pelo rompimento de uma barragem da mineradora Vale em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte.

 

Neste quarto dia de buscas – que teve reforço de militares enviados pelo governo israelense –, nenhuma vítima foi encontrada com vida, segundo o corpo de bombeiros.

 

Números da tragédia

 

  • 65 mortos confirmados – 31 identificados(veja a lista)
  • 279desaparecidos (veja a lista)
  • 192 resgatados (veja a lista)
  • 386localizados

ACOMPANHE ATUALIZAÇÕES NA COBERTURA AO VIVO

 

A barragem de rejeitos, que ficava na mina do Córrego do Feijão, se rompeu na sexta-feira (25). A lama varreu a comunidade local e parte do centro administrativo da empresa. Entre as vítimas, estão moradores e funcionários da Vale.

 

As equipes lideradas pelo Corpo de Bombeiros de Minas Gerais adotam diferentes estratégias para localizar sobreviventes e vítimas. Aos poucos, a lama fica mais sedimentada – ou seja, menos fofa. Por isso, as equipes precisaram tomar cuidados para não colocar em risco os possíveis sobreviventes ou os próprios bombeiros.

 

As buscas estão sendo feitas por 120 bombeiros de Minas Gerais e 160 enviados de São Paulo, Rio de Janeiro, Alagoas, Espírito Santo e Goiás. Há outros 33 integrantes da Força Aérea Brasileira e 60 do Exército. Helicópteros são utilizados para resgatar os corpos.

 

A tropa da ajuda oferecida por Israel se concentrou no vale de lama perto do local em que a barragem estourou. Um dos equipamentos israelenses é capaz de encontrar pessoas com vida a 30 metros de profundidade. Apesar de a lama dificultar a sobrevivência, os bombeiros não descartam a possibilidade encontrar pessoas com vida.

 

Nesta segunda, os primeiros corpos começaram a ser enterrados. No cemitério Parque das Rosas, desde que a tragédia ocorreu 98 covas foram abertas, de acordo com funcionários. Trabalhadores da prefeitura foram deslocados de outros setores para ajudar no local, que, normalmente, conta com dois coveiros.

 

Publicidade:

Projeto SMTT para Todos chega as escolas municipais de Delmiro Gouveia e terá início pela Escola Eliseu Norberto

O objetivo da ação é educar os alunos e todos os profissionais da unidade escolar nas questões do trânsito e evitar acidentes, devido a localização da escola municipal, que fica as margens da AL-145, que corta o Bairro.

 

A Escola Municipal Eliseu Norberto, localizada no Bairro Bom Sossego, será a primeira escola da rede municipal a receber as atividades do Projeto SMTT para Todos, com ações voltadas a educação no trânsito que serão desenvolvidas pela Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT).

 

O objetivo da ação é educar os alunos e todos os profissionais da unidade escolar nas questões do trânsito e evitar acidentes, devido a localização da escola municipal, que fica as margens da AL-145, que corta o Bairro.

Com o mesmo foco, as atividades do projeto também serão levadas para as demais escolas da rede municipal de ensino e em parceria com a Secretaria de Estado da Educação, também serão ampliadas para as escolas estaduais localizadas no município de Delmiro Gouveia.

O Projeto SMTT para Todos visa estimular no aluno hábitos e comportamentos seguros no trânsito, transformando o conhecimento em ação, por meio da observação, vivências e situações encontradas no seu cotidiano, como a interpretação crítica do mundo onde vive, interferindo no seu contexto.

Prefeitura de Delmiro Gouveia.

 

Publicidade:

Usina Angiquinho: Uma história encravada nos paredões de beleza deslumbrante em contraste com o abandono

Em 2006, através da Fundação Delmiro Gouveia (Fundeg), a Usina foi tombada pelo Governo do Estado como Sítio Arqueológico, Histórico e Cultural de Alagoas.

Foto: Anderson Cleyverson

 

Inaugurada em janeiro de 1913, a Usina Angiquinho completa 106 anos nesse sábado (26). Ela foi a primeira hidrelétrica a produzir energia no Norte/Nordeste brasileiro. O local foi construído pelo visionário Delmiro Augusto da Cruz Gouveia para fornecer energia elétrica para indústria têxtil – Companhia Agro Fabril Mercantil, localizada no antigo vilarejo da Pedra, hoje atual cidade de Delmiro Gouveia. De uns tempos pra cá, o local está fechado para visitação, o que segundo empresários e moradores é extremamente ruim.

 

O complexo turístico Angiquinho conta com várias edificações, entre elas as casas de máquinas e bombas, que abrigam as turbinas da antiga usina, a linha férrea e a casa usada por Delmiro Gouveia quando visitava o local.

 

“Já tem um bom tempo que o espaço está fechado para visitação e isso prejudica muito a gente que tem comércio. Eu coloquei o nome do meu estabelecimento em homenagem a este importante espaço. Os turistas até vêm, mas não tem como ter acesso e isso é muito ruim para o nosso município”, afirma a empresária da região, Isabel da Costa.

 

Em 2006, através da Fundação Delmiro Gouveia (Fundeg), a Usina foi tombada pelo Governo do Estado como Sítio Arqueológico, Histórico e Cultural de Alagoas. Há época, de acordo com dados divulgados pela Fundeg, foram investidos R$ 600 mil reais em melhorias.

 

Sob detenção da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), o espaço encontra-se atualmente fechado para visitação e o que se pode ver ao longo trecho da entrada do complexo turístico é bastante lixo e a ausência de vigilantes na entrada, configurando-se total abandono.

 

“A Usina Angiquinho representa quase o marco zero da nossa cultura e economia. Faz parte de nossa história”, afirma Zeca Queiroz.

 

Procurado pela nossa reportagem na manhã da última quinta-feira (24), o responsável pelo Departamento de Gestão Regional (DGRP) da Chesf de Paulo Afonso, Rogério Ferreira, preferiu não gravar com a equipe do portal Editora Guia. Entretanto, ressaltou que sobre a atual situação da Usina Angiquinho, só a direção de Recife/PE é quem poderia falar sobre o assunto.

 

A equipe do portal Editora Guia Mais também entrou em contato com a secretária de Turismo e Cultura de Delmiro Gouveia, Patrícia Brasil, para saber como está o andamento da obtenção através do município do complexo de Angiquinho. A gestora da pasta chegou a marcar uma entrevista nesta sexta-feira (25), com a nossa equipe de reportagem, mas adiou o encontro, segundo ela, por motivos de saúde.

 

O que diz à Prefeitura de Delmiro sobre Angiquinho

 

Cumprindo o papel de ouvir o município sobre o assunto, nossa reportagem entrou em contato com a Assessoria de Comunicação. Para que você entenda o caso, no dia 27 de janeiro de 2018, a gestão municipal enviou uma matéria aos sites informado que o prefeito Eraldo Cordeiro tinha ido a Brasília para se reunir com o deputado Marx Beltrão, na oportunidade, Ministro do Turismo. Juntos, tentariam resolver o impasse de conseguir o espaço. Porém, após um ano, o problema ainda não foi solucionado.

 

A Assessoria de Comunicação informou ao portal Editora Guia Mais que o Sítio Arqueológico de Angiquinho ainda pertence a Chesf e que a gestão tem buscado junto à administração do complexo para que assim possa voltar a receber turistas e a comunidade local. Porém, não relatou prazo para que essa negociação seja concluída.

 

Sobre a denúncia de descarte irregular do lixo, a gestão explica que busca sensibilizar a população sobre esse crime. A coleta funciona normalmente e fica o apelo para que não só ali no entorno de Angiquinho, mas em qualquer outro lugar não se jogue lixo na rua, ressalta à prefeitura.

 

Publicidade:

Inhotim retira funcionários e visitantes por precaução, mesmo não sendo atingido, até o momento, por lama

Os rejeitos atingiram a área administrativa da companhia, inclusive um refeitório, e parte da comunidade da Vila Ferteco.

 

Uma barragem da mineradora Vale se rompeu nesta sexta-feira (25), em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Imagens aéreas mostram que um mar de lama destruiu casas da região do Córrego do Feijão. De acordo com o governo de MG, há ao menos sete pessoas mortas, ainda não identificadas.

 

O rompimento ocorreu no início da tarde de hoje, na Mina Feijão. A Vale informou sobre o acidente à Secretaria do Estado de Meio-Ambiente às 13h37. Os rejeitos atingiram a área administrativa da companhia, inclusive um refeitório, e parte da comunidade da Vila Ferteco.

 

Há ao menos sete pessoas feridas. O Corpo de Bombeiros informou por volta das 20h45 que havia aproximadamente 150 pessoas desaparecidas e divulgou uma lista de pessoas resgatadas vivas. Os bombeiros afirmam também que as sirenes de emergência não tocaram.

 

Foram retiradas nove pessoas com vida da lama e cerca de 100 pessoas ilhadas foram resgatadas. Quase 100 bombeiros estão no local, e devem chegar a 200 a partir da madrugada deste sábado (26).

 

A empresa diz que, dos 427 empregados que estavam no local, apenas 279 foram localizados. Segundo o presidente da Vale, Fábio Schvartsman, vazaram 12 milhões de metros cúbicos de rejeitos – na tragédia de Mariana, há 3 anos, foram 43,7 milhões.

 

Segundo o presidente da Vale, uma das barragens se rompeu e o vazamento do rejeito também fez outra barragem transbordar. Ele diz que a barragem que rompeu não era usada há três anos. Ainda não há informação sobre a causa do rompimento.

 

Publicidade:

Nota de Esclarecimento sobre o HNAS

A Diretoria vem empreendendo esforços para formar parceria com os órgãos competentes na busca de soluções que se adequem às necessidades de todos os envolvidos.

 

A Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) vem a público esclarecer sobre informações veiculadas na mídia acerca do Hospital Nair Alves de Souza – HNAS, historicamente instalado para atender os trabalhadores das obras de construção do Complexo de Usinas de Paulo Afonso (BA).

 

A Chesf não cogita encerrar as atividades do HNAS. Ao contrário, as medidas anunciadas pela Companhia Fazem parte de planejamento empresarial para transferência da gestão e operação do hospital à Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) e à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), que deverá ocorrer até dezembro de 2020.

 

Como empresa estatal de capital aberto, com a finalidade social de gerar, transmitir e comercializar energia elétrica, a Chesf não tem missão estatutária de prestar serviços públicos de atendimento médico-hospitalar.

 

Os ajustes na atual operação do Hospital Nair Alves de Souza foram aprovados pelo Conselho de Administração Chesf e estão alinhados à natureza de atendimento pronto-socorro não ambulatorial.

 

A Diretoria vem empreendendo esforços para formar parceria com os órgãos competentes na busca de soluções que se adequem às necessidades de todos os envolvidos.

 

Publicidade: