DNIT promete fazer quebra-molas e manifestantes liberam BR-423 em Inhapi

Representantes do DNIT pautaram para próxima segunda-feira (6) uma reunião no escritório, onde possivelmente será assinado a documentação para a autorização da construção dos quebra-molas.

Por Redação | 1 de outubro de 2014 às 21:59

Crédito: Ítallo TimóteoMais de 10 horas se passaram e os manifestantes com o apoio do Movimento Sem Terra (MST) que bloquearam um trecho da BR-423 no povoado Leobino em Inhapi na manhã desta segunda-feira (1), liberaram pro volta das 15h30, o tráfego após o comparecimento de representantes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

 

Durante a conversa com os manifestantes, os representantes do (DNIT) pautaram para próxima segunda-feira (6) uma reunião no escritório em Santana do Ipanema, onde possivelmente será assinado a documentação para a autorização da construção dos quebra-molas.

 

Discussão:

 

Segundo um manifestante, por volta das 11h, um adolescente teria desacatado um policial militar e acabou sendo apreendido o que revoltou os manifestantes, mas após a chegada do Batalhão de Choque da Polícia Militar os ânimos  foram acalmados.

 

Relembre o caso:

 

Moradores de Inhapi com o apoio do Movimento Sem Terra (MST) fecharam desde a 5h da manhã desta quarta-feira (1), um trecho da BR-423 no povoado Leobino zona rural do município. Os manifestantes reivindicam quebra-molas no mesmo trecho em que aconteceu o acidente que matou pai, mãe e filho, na ultima segunda-feira (29).

 

Os manifestantes colocaram pneus queimados, pedras, placas e madeiras para interditar a rodovia, segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF) do posto Carié o congestionamento sentido Delmiro/Inhapi chegou a quatro quilômetros, já Carié/Inhapi chega aos três quilômetros.

 

Cerca de trezentas pessoas participam da manifestação, a reportagem do Radar 89 apurou que o enterro de Ricardo Queiroz, Kaliane e seu filho de quatros anos mortos no acidente, foram sepultados na manhã desta quarta-feira no cemitério municipal de Inhapi. Inclusive o cortejo fúnebre passou no local da manifestação o que revoltou ainda mais os manifestantes, no local do acidente foi encontrado um pedaço do crânio de algumas das vítimas do acidente.  A reportagem apurou também que o Radar eletrônico estava sendo apedrejado pelos manifestantes.

 

Guarnições do Pelotão de Operações Especiais (Pelopes) e Rádio Patrulha do 9º Batalhão de Polícia Militar (9º-BPM) estão no local dando apoio aos patrulheiros federais.

 

Nossa reportagem conversou com o patrulheiro rodoviário federal “Do Vale” que informou que a superintendência da PRF está em reunião com Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) para ser feitos os quebra-molas que os manifestantes reivindicam.

 

 

 

Deixe aqui seu Comentário

ENQUETE
  • Você está tomando os cuidados necessários para o coronavírus?

    Carregando ... Carregando ...
  • INSTAGRAM
    Radar notícias © 2014 - 2020 Todos os direitos reservados.