Assessoria de Erivaldo Mandú, prefeito de Mata Grande emite nota de esclarecimento

Nota de Esclarecimento afirma que político está sendo alvo de uma manobra política.

Por Assessoria de Comunicação | 27 de dezembro de 2017 às 9:10

 

Devido ao noticiário que circulou sobre a prisão do Prefeito Erivaldo Mandú da cidade de Mata Grande, a Assessoria de Comunicação do político informa que todas as medidas necessárias já foram tomadas para que o quadro possa ser revertido.

 

Os advogados já estão trabalhando para efetuar a soltura de Mandú o mais rápido possível.

 

Reiteramos que Erivaldo Mandú é inocente e está sendo alvo de uma manobra política criada por pessoas que usurparam o dinheiro público e tentam a todo custo tomar posse da Prefeitura de Mata Grande.

 

Em apenas um ano, o Prefeito Erivaldo Mandú conseguiu controlar os gastos públicos e realizar diversas obras que estavam paralisadas há anos.

 

Junto com o Governo do Estado inauguramos o trecho da AL-145, além da reforma AL-140 e requisitar outras obras, como a instalação do Centro Integrado de Segurança Pública (CISP).

 

Em nome do prefeito Mandú e de seus familiares, agradecemos às inúmeras manifestações da sociedade e reiteramos que iremos provar sua inocência. O povo de Mata Grande está cansado de ser enganado por políticos que só pensam em si próprios. Vamos juntos criar uma Mata Grande para todos.

 

Prisão:

 

O prefeito de Mata Grande, Erivaldo de Melo Lima, conhecido como Mandu, e o vereador pela cidade, Joseval Antônio da Silva, conhecido como Joseval Costa, foram presos durante uma operação do Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc), deflagrada neste domingo (24). Ambos foram submetidos a exames de corpo delito no Instituto Médico Legal (IML) de Maceió e encaminhados para o Sistema Penitenciário de Alagoas.

 

Os dois foram presos nas casas onde moram. O prefeito na residência dele, localizada na cidade de Mata Grande, e o vereador no povoado Santa Cruz do Deserto, Zona Rural do município. De acordo com a assessoria de comunicação do Ministério Público Estadual (MPE), eles são suspeitos de integram um esquema de pagamento de “mensalinho” para garantir a aprovação de projetos na Câmara de Vereadores.

 

A assessoria disse ainda que um vídeo mostra a negociação que envolve quatro vereadores, mas apenas dois aparecem mais claramente nas imagens. Eles negociam o pagamento de R$ 7 mil para aprovação dos projetos. Leia mais, clicando AQUI.

Deixe aqui seu Comentário

ENQUETE
  • Você está tomando os cuidados necessários para o coronavírus?

    Carregando ... Carregando ...
  • INSTAGRAM
    Radar notícias © 2014 - 2020 Todos os direitos reservados.