Delmiro: “A arma disparou e voou da minha mão”, diz autor da morte da jovem Maísa

Por PA4 | 25 de junho de 2019 às 9:10

Gerciano Fernandes foi condenado a 22 anos e 6 meses pela morte da esposa – Foto: Reprodução Band/PA4

 

O que está por trás de tantos assassinatos de mulheres do Brasil? Em busca da resposta, a repórter Olivia Freitas do Jornal da Band visitou o presídio do Agreste, considerado uma das penitenciárias de segurança máxima do estado de Alagoas.

Dentro do presídio, a jornalista falou com homens condenados por feminicídio, entre eles  Gerciano Fernandes de Souza, ex-morador da Barragem Leste, distrito localizado entre os municípios de Paulo Afonso (BA) e Delmiro Gouveia (AL), ele foi condenado pelo assassinato da esposa, Maísa Farias Varjão. O crime ocorreu no dia 24 de setembro de 2017, na época a vítima tinha 23 anos, o filho do casal com apenas dois anos presenciou tudo.

Um ano após o homicídio, dia 8 de agosto de 2018, Gerciano foi condenado a 22 anos e 6 meses de prisão em regime fechado, por homicídio qualificado.

Na entrevista ao Jornal da Band, Gerciano alegou que o tiro que matou a mulher foi acidental: “Eu conversando com ela, ela de frente comigo na calçada e meu filho do lado, um bebê, tinha dois anos e oito meses, aí a arma disparou que voou da minha mão, a arma, aí eu não sei o que foi que aconteceu. Até hoje eu pergunto o que foi que aconteceu que aquela arma disparou e voou da minha mão”.

A repórter perguntou ainda: “E acertou ela na cabeça?”

Gerciano confirmou: “Na cabeça, acho que foi de lado, não deu pra ver, só vi ela no chão, meu menino chorando, naquela hora não consegui enxergar nada.”

O argumento de tiro acidental foi o mesmo usado pelo seu advogado de defesa, no dia do julgamento, “o crime não foi premeditado e deveria ser julgado sim, porém, como homicídio simples.”, pediu na época

Já para a acusação, o promotor de Justiça, Dr. João Batista, o crime foi sim premeditado, pois não havia sentido Gerciano sair de casa com uma arma de fogo e ficar em frente à residência da ex-sogra, apenas para fazer um susto e após o disparo, se evadir do local.

Ainda durante o julgamento, Gerciano chorou ao dar o depoimento de como tudo aconteceu, porém, não convenceu o promotor afirmando que tudo não passava de uma farsa, de uma estratégia para ganhar liberdade.

A entrevista ao Jornal da Band foi ao ar no último dia 19 de junho. O presídio do Agreste, onde Gerciano cumpre a pena, fica localizado em Girau do Ponciano, no Agreste de Alagoas.

Deixe aqui seu Comentário

ENQUETE
  • Você acredita que os vereadores de Piranhas estão fazendo um bom trabalho?

    • Não (83%, 24 Votos)
    • Sim (17%, 5 Votos)

    Total de Votos: 29

    Carregando ... Carregando ...
  • INSTAGRAM
    Radar89 © 2014 - 2017 Todos os direitos reservados.