Em balanço, PC diz que eleições em AL foi tranquila

Por Cada Minuto | 6 de outubro de 2014 às 13:04

Delegado Geral - Carlos Reis
Delegado Geral – Carlos Reis

Finalizada a votação e a apuração dos votos em Alagoas, a Polícia Civil divulgou nesta segunda-feira (06) um balanço do período onde considera a realização do pleito tranquila. Segundo os dados da Diretoria de Informações e Estatísticas da Polícia Civil (Deinfo) as eleições deste ano foram mais tranquilas que em 2010.

 

Nas eleições deste ano, ao todo, foram realizadas 18 autuações em flagrante, além de 34 Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCOs), e foram instaurados 24 inquéritos policiais.

 

Os números mostram que houve uma redução no número de ocorrências em comparação com a eleição de 2010, que registrou 56 inquéritos instaurados, 47 TCOs e 40 prisões em flagrante. Já quanto ao número de homicídios, a redução foi bastante significativa, pois, em 2010, 15 pessoas foram assassinadas, contra duas no período eleitoral de 2014.

 

Outros itens também demonstram a grande redução no número de ocorrências. Em termos de furto, houve 69 em 2010 contra 13 em 2014; foram 46 roubos contra 22 neste ano.

 

Interior

 

Foram registradas ocorrências de natureza especificamente eleitoral nos municípios de Feira Grande, Ibateguara, Girau do Ponciano, Anadia, Barra de Santo Antonio, Campestre, Campo Alegre e Coqueiro Seco, a exemplo de propaganda de boca de urna, compra de voto, desobediência eleitoral, entre outros. Todos os procedimentos cabíveis foram realizados pelas equipes da Polícia Civil de plantão.

 

Na capital, em relação à ocorrência divulgada pela imprensa e nas redes sociais, que envolveu o candidato ao Senado Federal coronel  da reserva Marco Brito, em incidente na Escola Padre Pinho, no bairro de Cruz das Almas, todas as providências foram tomadas pelo delegado-geral da Polícia Civil, Carlos Reis. Ele determinou, de imediato, a instauração de procedimento investigatório, bem como designou uma delegada para, em caráter especial, apurar o fato narrado.

 

De acordo com o delegado-geral Carlos Reis, a tranquilidade registrada no pleito foi também em virtude do planejamento operacional elaborado pela Polícia Civil. ”Quero destacar que esta eleição foi uma das mais pacíficas dos últimos 16 anos em nosso Estado, graças ao planejamento operacional traçado pela nossa instituição. Gostaria de elogiar e agradecer o empenho de todos os delegados, agentes e escrivães que se engajaram como nunca para realizar um trabalho profissional e competente”, frisou o delegado-geral.

 

Carlos Reis ainda enalteceu a integração com os demais órgãos da segurança pública que trabalharam no pleito, a exemplo das polícias Federal e Militar, e o entrosamento com o Ministério Público Estadual e o Poder Judiciário, por meio do Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

 

A Polícia Civil de Alagoas iniciou seus trabalhos desde às 18 horas de sábado (4) com o objetivo de garantir a segurança nas eleições deste ano. O plano operacional mobilizou 122 delegados, além de agentes e escrivães, totalizando 1.559 servidores da instituição.

 

No interior os trabalhos das equipes foram coordenados pelos diretores das áreas 1, 2 e 3, e acompanhados por corregedores, em Batalha, Arapiraca e União dos Palmares, respectivamente. O mesmo sistema foi utilizado na região metropolitana de Maceió, com o objetivo de garantir apoio e tranquilidade à população.

 

Os municípios com maior número de eleitores receberam reforço dos policiais do Tigre (Tático Integrado de Grupamento de Resgates Especiais), GEAI (Grupo especial de Apoio Investigativo) e da Operação Asfixia.

 

O Plano Operacional definiu ainda que, em Maceió, além da Central de Flagrantes, localizada na Avenida Fernandes Lima, que funcionou normalmente, a partir das 18h de ontem (4) até as 18h deste domingo (5), a sede do 6º Distrito Policial, localizado no bairro de Cruz das Almas, funcionou também como a segunda  Central de Flagrantes durante este período.

 

O delegado-geral informou que a frota da instituição foi reforçada com 82 veículos pertencentes a outras secretarias do Estado. “Com isso, tivemos cerca de 300 viaturas a disposição do serviço da Polícia Judiciária durante o pleito eleitoral, e, desta forma, os policiais puderam se deslocar até os municípios, onde foram escalados”, acrescentou.

 

Durante a eleição, a Polícia Civil atuou recepcionando notícias de crimes comuns e eleitorais, autuando e prendendo quem fosse encontrado em flagrante pela prática de crime e realizando investigação em local de crime.

Deixe aqui seu Comentário

ENQUETE
  • Você está tomando os cuidados necessários para o coronavírus?

    Carregando ... Carregando ...
  • INSTAGRAM
    Radar notícias © 2014 - 2020 Todos os direitos reservados.