Vereadores delmirenses cobram responsabilidade da mancha no Rio São Francisco durante audiência pública

Por Veruscka Alcântara | 25 de abril de 2015 às 9:27

IMG_6391 (1)Uma audiência pública realizada nesta sexta-feira (24), na Câmara de Vereadores de Delmiro Gouveia, teve como pauta a mancha escura que apareceu no  Rio São Francisco há cerca de duas semanas. A reunião, proposta pelo vereador Edvaldo Nascimento, reuniu representantes de diversos segmentos ambientais, da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal), bem como autoridades políticas e comunidade, que lotou a Casa Legislativa. Alunos da Escola Luiz Augusto também participaram do debate.

 

A audiência foi comandada pelo presidente Valdo Sandes e contou com a participação do Promotor João Batista, representando o Ministério Público de Delmiro Gouveia; o secretário de Estado adjunto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Edilson Ramos e o Deputado Inácio Loiola, que formaram a mesa.

 

 

Ainda fizeram parte do debate o gerente de qualidade da Casal, Alfredo Brechó; o supervisor de tratamento da Casal Edvânio José da Silva; a coordenadora geral de energia elétrica da diretoria de licenciamento ambiental do IBAMA, Regina Montenegro; o Administrador Regional da Chesf Augusto Cezar; o engenheiro do departamento de Meio Ambiente da Chesf, Thiago Aragão; Ermi Ferrari, da fiscalização do IMA; Manoel Messias, do laboratório do IMA; o comerciante Zeca Queirós, representando a comunidade, além dos parlamentares, Edmo Oliveira, Pedro Paulo, Carlos Roberto Cacau Correia, Geraldo Xavier, Milton Lisboa, Carlos José Bezerra (Gato), Francisco de Assis (Kinho) e Marcos Costa.

 

O vereador e autor da audiência Edvaldo Nascimento abriu o debate ressaltando a importância da discussão para a região. “Estamos aqui reunidos para debater essa mancha escura que apareceu no Rio São Francisco, saber a sua causa e procurar soluções para que a nossa população tão sofrida não seja ainda mais penalizada pela má qualidade da água que está chegando às residências. Que possamos realizar um bom debate, buscando alternativas para este problema que assola nossa região sertaneja”, falou.

 

Em seguida, o Deputado Inácio fez uma trajetória sobre a história do Rio São Francisco ressaltando fatos que contribuem para a degradação do mesmo e cobrou providências sobre a mancha escura que estão nas suas águas. O deputado acusou a Chesf de ser a causadora, em virtude do esvaziamento dos reservatórios e assim proliferando a alga que está causando a mancha. “Precisamos nos irmanar e nos juntar contra essa degradação do nosso Rio São Francisco. Entendo que a causadora dessa mancha é a Chesf e é preciso que sejam tomadas as devidas providências”, frisou.

 

O promotor João Batista enfatizou que o Ministério Público estará em defesa da população, especialmente a delmirense, e cobrou da Chesf que aumente a vazão da água para que a mancha, que é composta de microalgas, seja levada embora. “O Ministério Público é para defender o povo e se o que precisa para a remoção da mancha é um aumento de vazão da água, é preciso que isso seja feito, porque a população não merece passar por isso. Ressalto que o Ministério Público de Alagoas, Bahia e Sergipe está fazendo o levantamento dos prejuízos para que o povo seja ressarcido. Vamos trabalhar para que tudo isso seja reposto”.

 

O secretário de Estado Edilson Ramos disse que o governo do Estado está empenhado em elucidar o problema, que tem causado tantos transtornos para a população de oito municípios e também frisou que “se for preciso o aumento da vazão da água pela Chesf para que a questão seja resolvida, que seja feito”. Para o supervisor de tratamento da Casal, Edvânio, que apresentou um estudo sobre o impacto da mancha na distribuição de água pela companhia, a culpa seria da Chesf na proliferação das algas e cobrou também que sejam tomadas as providências. “A Casal também é uma vítima dessa mancha tanto quanto foi a sociedade”, disse.

 

O engenheiro Thiago Aragão, representante da Chesf, pontuou os questionamentos feitos pelos palestrantes e defendeu a empresa. “A maioria das instituições já pegou o viés de que a mancha é culpa da Chesf, mas a empresa não se manifestará porque aguarda o laudo com o real motivo desta mancha”. Ele falou ainda que sobre o esvaziamento dos reservatórios ocorridos em fevereiro foram tomadas todas as devidas providências.

 

Os representantes do Ima, Manoel e Ermi, apresentaram laudos conclusivos de que a  Chesf seria a responsável pela proliferação das microalgas. “Agradecemos à Câmara de Vereadores por este debate e estamos aqui para que a população tenha ciência do que realmente está acontecendo. Podemos dizer que a Chesf é a causadora desse problema e frisar que o IMA está à disposição para buscar uma solução”, falou Manoel.

 

A coordenadora do IBAMA, Regina,  falou sobre os laudos emitidos pelo órgão, enfatizando que o mesmo tem responsabilidade na realização do seu trabalho. Diante das colocações sobre a Chesf, o administrador regional Augusto Cézar frisou que caso seja constatado que a Chesf tem culpa, ela não irá fugir da sua responsabilidade. “Garanto ao senhores, caso haja culpa da Chesf, ela não irá fugir da sua responsabilidade. Vamos aguardar o laudo para ver o que diz”, frisou. Em homenagem ao rio, Zeca Queirós leu uma poesia.

 

O debate foi encerrado com os questionamentos dos vereadores Edmo oliveira, Francisco de Assis (Kinho) e Pedro Paulo, que cobraram uma solução eficaz para o problema. “O que estamos vendo aqui é muita falácia, mas precisamos ter uma resolutividade para o problema crítico que atinge nossa população. Isso é inadmissível”, falou Edmo. “O Rio São Francisco vem sofrendo, a população sendo prejudicada e ficamos somente no discurso. Que essa audiência seja um grande passo para uma resolução efetiva e uma resposta que a sociedade precisa”, disse Pedro Paulo.

 

Da audiência, que foi concluída pelo 1º vice-presidente Carlos Roberto Cacau, será elaborado um documento com tudo que foi discutido e enviado aos órgãos pertinentes. Ainda estiveram presentes à reunião o gerente da divisão de operação da Chesf Elerson Carlos da Silva; o gerente de manutenção civil da Chesf, Flávio Marcelo; o superintendente de interior da Casal, Antônio Fernando; o gerente da unidade Sertão da Casal João Neto; o médico veterinário Carlos Alberto; o gestor ambiental da Fábrica da Pedra, Haroldo Almeida; o secretário municipal de Meio Ambiente Jamil Cordeiro e o seu adjunto Marcos Freiras; a coordenadora da Vigilância Sanitária municipal Carla Damasceno e a secretária de Educação Rosa Freire.

 

IMG_6425

Deixe aqui seu Comentário

ENQUETE
  • Você está tomando os cuidados necessários para o coronavírus?

    Carregando ... Carregando ...
  • INSTAGRAM
    Radar notícias © 2014 - 2020 Todos os direitos reservados.