Dois ex-prefeitos do sertão alagoano são suspeitos de comandar esquemas fraudulentos

José Gildo Rodrigues de Poço das Trincheiras e José Mário de Santana do Ipanema irão responder ações de improbidades.

Por Tribuna Independente | 5 de abril de 2017 às 19:43

Gildo e José Mário. Reprodução.
Gildo e José Mário. Reprodução.

A 17ª Vara Criminal da Capital recebeu a acusação do Ministério Público Estadual (MPE) contra o ex-prefeito de Poço das Trincheiras, José Gildo Rodrigues Silva (PSC), em ação por improbidade administrativa. A Promotoria de Justiça do Município e o Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc) também vão propor duas ações contra o ex-gestor de Santana do Ipanema, José Mário da Silva (PV).

 

Ambos são suspeitos de comandar esquemas fraudulentos quando estiveram à frente da administração municipal. As informações são do promotor Antônio Luiz dos Santos, que conversou com a reportagem da Tribuna Independente e falou sobre os desdobramentos das operações realizadas no início do ano.

 

“Estamos fazendo tudo na medida do possível, pois é muito trabalho, são muitos documentos. Já ouvimos os ex-prefeitos de Santana do Ipanema e de Poço de Trincheiras, além de testemunhas, inclusive até já foi proposta uma ação contra o pessoal [ex-prefeito e demais suspeitos] de Poço das Trincheiras, possivelmente a gente estará propondo outra ação contra Santana de Ipanema. A de Poço das Trincheiras já foi proposta e está na 17ª Vara. Santana do Ipanema, por exemplo, possivelmente será deflagrada mais de uma ou duas ações. Porque são situações adversas, indícios fortes da prática de crime contra a administração pública”, explicou.

 

A reportagem não conseguiu contato com os ex-prefeitos de Santana do Ipanema e Poço das Trincheiras.

 

Novos depoimentos serão tomados em breve

 

Na semana passada outro ex-prefeito investigado foi ouvido pelo Ministério Público. Atevaldo Cabral (PMDB), ex-gestor de Ouro Branco também foi ouvido no processo sobre supostas irregularidades durante a sua gestão.  Além dele, ex-secretários do município também prestaram depoimento na instituição.

 

Atevaldo também é suspeito de comandar supostos esquemas fraudulentos durante sua gestão. Na operação em Ouro Branco foram apreendidos documentos relativos a processos de licitação, dispensa de licitação, contratos e processos de pagamento. O Ministério Público estima que as cifras dos prejuízos ao erário cheguem a milhões de reais.

 

Sobre os depoimentos dos ex-prefeitos, o promotor disse que normalmente eles negam tudo.

 

“Eles dizem que foram orientados, que contratou assessoria para ser orientado e não orientaram como deviam que não tem culpa. Como sempre, não é? Ninguém sabe ou ninguém fez nada”, informa o promotor Antônio Luiz dos Santos.

 

Nos próximos dias o MP Estadual deve ouvir os ex-prefeitos de Pão de Açúcar, Jorge Dantas (PSDB); Maravilha, Carlos Luiz Martins Marques (PRB); Água Branca, Albani Sandes(PMDB) e  Mata Grande, José Jacob Gomes Brandão (PP). Todos suspeitos de desviar recursos públicos por meio de contratos fraudulentos.

 

A reportagem da Tribuna Independente tentou ouvir os ex-prefeitos mencionados também nesta na matéria, mas até o fechamento da edição não obteve êxito.

Deixe aqui seu Comentário

ENQUETE
  • Reforma da previdência, você é a favor ou contra?

    Resultado da Enquete

    Carregando ... Carregando ...
  • INSTAGRAM
    Radar89 © 2014 - 2017 Todos os direitos reservados.