Pena de Celso Luiz por esquema em Canapi pode chegar a 44 anos, diz PF

Segundo delegado, acusado de chefiar quadrilha tinha o terceiro maior salário do país.

Por Cada Minuto | 15 de maio de 2017 às 11:59

e314da8f-ca6b-47f1-9816-e058126ed97cA Polícia Federal (PF) convocou a imprensa na manhã desta sexta-feira (12) para uma coletiva no intuito de fornecer mais detalhes sobre a segunda fase da operação “Triângulo das Bermudas” denominada “Operação Deusa da Espada”, envolvendo o ex-prefeito de Canapi, Celso Luiz. Segundo a PF, o ex-gestor e os outros três envolvidos serão presos por organização criminosa, peculato, lavagem de dinheiro e a pena pode chegar a 44 anos.

 

Durante a coletiva, o delegado da PF, Antônio Carvalho informou que o vice-prefeito Genaldo Vieira não foi localizado. Dos quatro mandados de prisão expedidos, três foram cumpridos. Além Celso, Jorge Valença e Carlos Alberto, ex-secretários também integravam a organização.

 

Segundo o delegado, R$ 17 milhões do antigo FUNDEF (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério) foram desviados pelo grupo em dezembro de 2015 e durante todo o ano de 2016.  O titular também contou o vice-prefeito, Genaldo Vieira, teria gasto cerca de R$ 7 milhões, enquanto os outros R$ 10 milhões foram desviados por Celso Luiz. Além disto, R$ 200 mil foram usados para três bandas do forró para festas de fim de ano.

 

Ainda conforme Antônio Carvalho, o valor desviado corresponde a metade do orçamento do município e o salário do ex-prefeito é o terceiro maior do país, maior do que o prefeito de São Paulo.

 

Com as prisões preventivas, Celso Luiz – encontrado em Maceió – foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) para o exame de corpo de delito. Jorge Valença e Carlos Alberto estão a caminho de Maceió.

Deixe aqui seu Comentário

ENQUETE
  • Você está tomando os cuidados necessários para o coronavírus?

    Carregando ... Carregando ...
  • INSTAGRAM
    Radar notícias © 2014 - 2020 Todos os direitos reservados.